Polí­tica

Foto: Koró Rocha

Em pronunciamento na manhã desta terça-feira, 9, na Assembleia Legislativa do Tocantins, o deputado estadual José Roberto Forzani (PT) falou sobre a necessidade de maior fiscalização dos órgãos de controle nas 11 instituições que compõem o Sistema S - Senai, Senar, Sesi, IEL, Sest, Sebrae, Sesc, Senac, Senat e Sescoop.

“Tenho acompanhado esse debate na imprensa nacional e também concordo que é preciso abrir a caixa preta que existe nesse Sistema. Estas instituições recebem anualmente mais de 15 bilhões de reais, que são oriundos de recursos públicos, e deveriam prestar contas desses recursos”, enfatizou o parlamentar.

Para Zé Roberto o Sistema S deveria prestar serviços gratuitos à população e criticou a cobrança dos mesmos. “Cobram nos cursos valores mais caros que empresas particulares”. E continuou ressaltando que há fortes indícios de que estas instituições são grandes financiadoras de campanhas políticas eleitorais. “Precisamos que o Ministério Público acompanhe isso de perto e verifique os fortes indícios de desvios de recursos públicos, de caixa dois, para financiar campanhas políticas de interesse destas instituições”, denunciou.

Entre os parlamentares na esfera federal que denunciam o Sistema S, Zé Roberto usou como exemplo as constantes denúncias do senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO). “Não conheço o senador, mas sei que ele tem atuado nessa questão. Existe uma caixa preta e precisamos abrir, não justifica essas instituições receberem 15 bilhões por ano e ainda não prestarem conta do que fazem. São instituições que além de aumentar a transparência de suas administrações deveriam prestar conta sobre aquilo que se propõe”, finalizou Zé Roberto garantindo que fará outros pronunciamentos sobre o Sistema S no Tocantins.

Sistema S

O sistema S é formado por organizações e instituições todas referentes ao setor produtivo, tais como indústrias, comércio, agricultura, transporte e cooperativas. As instituições do Sistema S não são públicas, mas recebem subsídios do governo. São varias as organizações que compõe o sistema S, algumas delas são subordinadas à Confederação Nacional da Indústria ou às Federações do Comércio