Campo

Foto: Madson Maranhão

A equipe do projeto de Ação de Melhoramento Genético do Rebanho Tocantinense visitará cerca de 200 propriedades, nos municípios do Bico do Papagaio e norte do Estado, para realizar mais de 600 procedimentos de IATF – Inseminação Artificial por Tempo Fixo. O trabalho será realizado nos próximos dez dias, de 18 a 28 de abril. O Projeto de Melhoramento é desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Seagro – Secretaria Estadual da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário - e desde 2008, já beneficiou mais de 300 propriedades rurais, totalizando 15 mil matrizes inseminadas em todo o Estado.

Os procedimentos neste ano tiveram início no mês de fevereiro, atendendo as propriedades cadastradas da região Central e Sudeste. De acordo com a médica veterinária da Seagro, Arlette Mascarenhas, nesta etapa, os produtores beneficiados são dos municípios de Axixá, Palmeiras, Santa Terezinha, São Bento do Tocantins, Angico, Cachoeirinha, Luzinópolis e Nova Olinda.  No primeiro momento, são selecionadas as matrizes e aplicados os hormônios. “Dez dias depois é realizado o protocolo de IATF, que faremos nestes dias. Posteriormente faremos outra visita para a confirmação ou não da prenhez”, explica.

Segundo a veterinária, as ações de melhoramento genético garantem maior produtividade dos animais, reduzindo custos dos produtores. Ainda segundo Arlette, vários municípios já têm animais adultos que são frutos de inseminações do projeto, aumentando o volume diário de leite da propriedade. “Isso porque as vacas aneloradas recebem sêmens de raças leiteiras como a girolando e gir, num processo de apuração e melhoria do grau de sangue”, afirmou Arlette.

Adesão

Para participar, o produtor deve apresentar comprovantes de vacinação do rebanho e de exames, além de mencionar o peso, a idade das matrizes e confirmar informações sobre questão sanitária e nutricional do rebanho. Todos os dados devem ser repassados ao escritório do Ruraltins – Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins no seu município ou na sede da Seagro, em Palmas.

A Seagro custeia o laboratório móvel de melhoramento genético e os técnicos que realizam as inseminações. Já os produtores ficam responsáveis pelo exame de brucelose dos animais e pela aquisição dos sêmens que serão utilizados nos procedimentos. (Ascom/Seagro)