Cultura

Foto: Divulgação

Alunos do 2º ano, do Centro de Ensino Médio Castro Alves, visitaram nesta última terça-feira, 21, o Museu Histórico do Tocantins – o Palacinho. Eles percorreram o local, aprenderam sobre arqueologia, pinturas e gravuras rupestres, e puderam tocar em exemplares de árvores fossilizadas. Joana Euda, responsável pelo patrimônio histórico do Tocantins na Seduc, auxiliou os alunos na viagem pela história do Estado.  

“Gostei de conhecer a história daqui. É um lugar muito lindo, muita gente não sabe como começou a história do nosso Estado e da Capital. Esse prédio ilustra também a história de luta, um pouco das dificuldades para constituir o Tocantins”, contou Antônio Jó Lima da Silva, de 17 anos. “Estou encantada com a cultura do Tocantins”, complementou a estudante Daniela Alves da Silva, de 16 anos.  

Na visita, os estudantes conheceram ainda a Capela Santa Rita de Cássia, a primeira edificação religiosa de Palmas, e uma mostra permanente que retrata as paisagens urbanas da cidade de Natividade. Aprenderam sobre o movimento de luta pela criação do Tocantins e conheceram exposições históricas, que mostram, por exemplo, a caneta usada para a assinatura da emenda que criou o Estado e a tesoura que cortou a fita de inauguração do Palácio Araguaia, além de dezenas de condecorações e placas de homenagem recebidas pelo governador Siqueira Campos. 

“Tudo aqui me chamou a atenção. É muito legal conhecer onde o Governador tomou decisões importantes no início da criação de Palmas. Gostei de conhecer o gabinete dele e as peças históricas. Vou voltar e trazer meus irmãos e meus pais. Quero que eles também conheçam mais da nossa história”, planeja a estudante Camila Rodrigues da Silva, de 16 anos.    

A exposição permanente mostra também um pouco da cultura quilombola e indígena. “Achei muito lindas as bonecas indígenas Ritchoko, não conhecia de perto esse artesanato”, contou Amanda Rocha, de 16 anos.

Na tarde desta terça-feira, 21, e durante toda a quarta, 22, novos estudantes do CEM Castro Alves visitarão o museu. Todos os demais estudantes do Estado também podem e devem conhecer o local. As visitas de grupos podem ser agendadas pelo telefone 3218-3316.  

Projeto Educação Patrimonial

A manhã desta terça-feira, também marcou o início do Projeto Educação Patrimonial, que receberá cerca de 100 alunos por dia, todos os dias da semana, para mostrar-lhes mais sobre a história do Tocantins. Foram exibidos alguns vídeos documentários que abordaram a cultura popular do Tocantins, como a tradicional dança da sússia.  

“O interessante é que a gente vê tanta coreografia e pouco conhecemos da nossa. Temos uma coreografia própria do nosso povo, que celebra nossas raízes, como a da dança da jiquitaia. Essa é a importância da gente saber sobre nosso patrimônio. Conhecer mais, para mostrar mais ao país o que a gente tem no nosso Estado, o que a gente é”, explicou o diretor de Cultura da Seduc, Célio Pedreira, durante conversa com os estudantes.

“Eu gostei demais de conhecer o Palacinho, que foi a primeira sede do Governo. Eu sou de Natividade e já fui na Festa do Divino, onde tem apresentação de sússia. Foi bom ver a cultura da minha cidade, do meu povo, aqui representada”, contou Jaqueline Dionísia Ferreira, de 16 anos.  

Palacinho

O Palacinho foi a primeira edificação construída em Palmas, no ano de 1989. A proposta inicial era utilizá-lo apenas para abrigar autoridades durante visitas às obras de construção da cidade. Mas com a antecipação da transferência da Capital provisória de Miracema do Tocantins para Palmas, o Palacinho foi adaptado para sediar a administração do Governo Estadual até que as obras do Palácio Araguaia estivessem concluídas. 

A construção foi sede do Poder Executivo de 1º de janeiro de 1990 a 9 de março de 1991. Abrigou ainda a Casa Civil e a Casa Militar, as secretarias do Interior, da Comunicação e da Agricultura. Também serviu, por pouco tempo, de residência oficial do governador. 

O prédio foi tombado pelo Governo do Estado pela Lei nº 431 de 28 de julho de 1992 e transformado em museu em 18 de março de 2002.