Estado

Foto: Divulgação Zózimo Camargo  foi preso no dia 17 de maio Zózimo Camargo foi preso no dia 17 de maio

Em nota pública divulgada nesta segunda-feira, 27, oCentro de Direitos Humanos de Palmas e o Comitê Estadual pela Memória, Verdade e Justiça do Tocantins defendeu a necessidade da integridade de Zózimo Camargo de Souza ser mantida para evitar tentativa de “queima de arquivo”.

Membros da comissão chegaramavisitar o acusado na Casa de Prisão Provisória de Palmas para verificar as condições que ele se encontra. Souza foi preso no dia 17 de maio acusado de cometer crimes durante a ditadura no Brasil. “Reiteramos, portanto, a necessidade de garantir ao acusado a plena garantia de seus direitos, considerando a situação especial em que se encontra, um ‘arquivo vivo’, que pode auxiliar o povo brasileiro na busca pelo direito a Memória e a Verdade”, diz a Comissão na nota.

Veja a íntegra da nota:

NOTA PÚBLICA

O CDHP- Centro de Direitos Humanos de Palmas e o Comitê Estadual pela Memória, Verdade e Justiça do Tocantins vêm por meio desta Nota Pública manifestar sua preocupação com a vida e a integridade física do Sr. Zózimo Camargo de Souza, preso no dia 17 de maio, acusado de cometer crimes durante o período da ditadura, no Brasil.

O Sr. Zózimo Camargo, ex-policial civil no Estado do Espírito Santo entre os anos de 1980, período da ditadura cívico-militar, provavelmente detém informações relevantes para a elucidação de crimes cometidos pelo Estado Brasileiro.

Considerando as mobilizações sociais pelo direito a Memória e a Verdade, através da criação da Comissão Nacional da Verdade, e das Comissões Estaduais da Verdade, que tem apurado os crimes acima mencionados, emerge a preocupação em garantir a integridade física do acusado, uma vez que os envolvidos nos atos praticados por este possam atentar contra sua vida, na tentativa de “queima de arquivo”.

Nesta sexta-feira, 23, o CDHP visitou a Casa de Prisão Provisória de Palmas, onde está o acusado afim de verificar as condições em que o mesmo se encontra, tendo observado que está sob tratamento adequado

Considerando que o acusado reside há cerca de vinte anos no Estado do Tocantins, tendo aqui família, manifestamos também a preocupação para que possa responder pelos processos neste Estado. 

Reiteramos, portanto, a necessidade de garantir ao acusado a plena garantia de seus direitos, considerando a situação especial em que se encontra, um ‘arquivo vivo’, que pode auxiliar o povo brasileiro na busca pelo direito a Memória e a Verdade.

 Centro de Direitos Humanos de Palmas

Comitê Estadual pela Memória, Verdade e Justiça do Tocantins

Comitê Estadual Memória, Verdade e Justiça - Tocantins

"Lembrar é Resistir"