Palmas

Foto: Divulgação

Com um efetivo de 350 policiais, divididos em diversas modalidades de policiamento, desde o ostensivo, a pé, até o policiamento aéreo, o Comandante Geral da Polícia Militar, Coronel QOPM Luiz Claúdio Gonçalves Benício, classificou a operação militar que objetivou garantir a segurança, a ordem e a paz durante a Manifestação realizada em Palmas, como tranquila.

Na Capital, a operação da PM teve início às 13h45, sendo finalizada às 22h. A PM esteve presente de forma preventiva e repressiva, fechando cruzamentos e orientando ao cidadão, garantindo um evento sem indicadores de criminalidade para um público estimado em 10 mil pessoas.

Para o Comandante Geral, foi através do profissionalismo, postura e a seriedade do policial militar que se pôde chegar ao final da ação com êxito na operação. “A responsabilidade e a forma como nossos militares conduziram os trabalhos durante a manifestação, é que fez com que o resultado fosse positivo. Quando o trabalho é conduzido com respeito, presteza e profissionalismo não é necessário usar de meios agressivos contra a integridade física”, avaliou, parabenizando ainda, a população palmense pelo ato democrático de ir às ruas se manifestar. “A população de Palmas e do Tocantins como um todo, deu exemplo de responsabilidade e civilidade, demonstrando que sabe reivindicar seus direitos sem causar danos aos demais e, sequer induzidos por mal intencionados”, enfatizou. 

O comandante do 1º Batalhão, Tenente Coronel Wagner Vieira da Cunha, foi quem comandou diretamente a operação, sob orientação do Comando Geral. Ele informou que a passeata foi uma lição de civismo e cidadania para o Brasil. “O manifesto, que de forma bastante organizada e pacífica, passou pelas Ruas Centrais do Plano Diretor da Capital sem nenhum ato que pudesse expressar ato de vandalismo e intenções criminais diversas”, frisou o TC Wagner.

A Polícia Militar não precisou efetuar nenhum disparo de bala de borracha ou de arma não letal, nem mesmo de gás lacrimogêneo, bem como não foi utilizado spray de pimenta por parte da corporação. Durante o evento foram registradas apenas duas situações insignificantes, de dano ao patrimônio público, sendo quebrada a janela de um ônibus da PM e uma vidraça do Palácio Araguaia. A vidraça de um supermercado também foi alvo de vândalos. Dois menores foram apreendidos por dano ao patrimônio público, sendo encaminhados à Delegacia de Polícia Civil, junto com os responsáveis legais. 

Interior

Em Gurupi, a 230 quilômetros de Palmas, na região Sul do Estado, onde também aconteceu manifesto, com a presença de aproximadamente três mil pessoas. O comandante do 4º BPM, Tenente Coronel Edivan de Jesus Lima, informou que empregou um efetivo de 40 militares durante a realização do movimento e, classificou a ação dos policiais também como tranqüila. Na ‘Capital da Amizade’, nem um registro de vandalismo, ou violência foi registrado. 

Na cidade de Guaraí, a 173 quilômetros da Capital, no Norte do Estado e Tocantinópolis, região Norte, manifestantes também foram às Ruas, tendo a segurança e a ordem garantidas pela PM, que não registrou nem uma ocorrência naquela localidade durante o ato de manifestação dos cidadãos envolvidos na ação.