Opinião

Dizia o Grande General Osório Patrono da Arma de Cavalaria, que “a farda não sufoca o cidadão”.

Absoluta razão tinha esse brilhante oficial em suas imortais palavras e feitos valorosos.

O militar por sua formação e deveres elevados para com o Estado e a Sociedade, e também por força da lei, não pode enquanto na ativa manifestar-se acerca de política partidária, não pode estar filiado a agremiações políticas, bem como lhe é proibido a sindicalização e a greve.

Todo esse aparato legal é correto, visto que, os militares estaduais são os guardiões da ordem pública e da normalidade.

A Sociedade Tocantinense confia em seus militares, visto que são e devem ser seus garantidores da segurança e da paz.

Somos e deveremos sempre ser uma das últimas trincheiras da ordem, da segurança e da legalidade.

Mas ocorre que antes de sermos militares somos cidadãos, advindos do seio da nossa gente, e tal qual qualquer cidadão que tem necessidades básicas para serem atendidas, nós igualmente temos as nossas.

Por força e confiança na hierarquia espera-se que nossas aspirações sejam tratadas com o maior cuidado e zelo pelos chefes junto às mais altas autoridades.

Espera-se sensibilidade para com nossos problemas. Não podemos ser relegados a segundo plano.

Fato é que, toda a tropa em qualquer parte do mundo sempre espera que seus pleitos sejam avaliados e que deliberações no momento oportuno, levado ao conhecimento de todos os interessados, de maneira oficial evitando desta forma a propagação de “notícias distorcidas”, o que é extremamente danoso.

Novamente se vê na grande imprensa o debate sobre a PEC.300 que tramita em Brasília a algum tempo, sem no entanto chegar-se a um denominador comum.

Essa é uma aspiração de milhares de militares estaduais da ativa e da reserva por todo o País. Nada mais justo do que reconhecer o trabalho vital destes homens e mulheres valorosos.

Em tempos de grandes mudanças e clamores por reformas, porque não dispensar mais atenção para os garantidores da paz social.

Em nosso Estado ouve-se falar sobre a Progressão para os militares estaduais. Segundo consta, seria uma das poucas categorias de servidores que ainda não foram contemplados com tal benefício. Certamente todos merecemos.

Como Pioneiro no Tocantins, tendo por aqui chegado em outubro de 1988, sou testemunha da luta, do trabalho e do sacrifício destes bravos na consolidação deste Estado.

Carentes de quase tudo, mas sempre levaram a bom termo sua missão. A proteção do povo é a nossa maior e sagrada missão. Os militares tocantinenses são absolutamente dignos e merecedores deste reconhecimento, para que possam desempenhar ainda melhor seu labor e proporcionar a seus familiares uma vida com melhores condições.

Temos certeza que a Progressão é um desejo de todos, e que será equacionado de maneira satisfatória pelo comando juntos aos governantes.

Confiança pois, já que a esperança é a última que morre.

Por: Heraclides Pereira Filho – Cel.CBMTO

Tags: Heraclides Pereira Filho, Polícia, Polícia Militar