Palmas

Foto: Divulgação

Mais uma vez o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, cumpre com o compromisso de doar seu salário. Nesta segunda-feira, 5, fez a doação do valor líquido recebido para Associação Beneficente Mefibosete (Casa de Recuperação Leão de Judá). Esta é a segunda vez que a Associação é beneficiada.

Na ocasião, o responsável pela Leão de Judá, pastor Manoel Albuquerque, apresentou o balanço dos investimentos feitos na ampliação e modernização da infraestrutura do local, conforme compromisso firmado em fevereiro quando recebeu a doação pela primeira vez. O projeto é autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Já tínhamos iniciado a obra, mas apenas as paredes estavam levantadas. Por falta de recurso a construção estava quase abandonada. O recurso foi empregado prioritariamente para conclusão do espaço físico da Associação e pretendemos inaugurar em novembro o galpão de oficinas e o alojamento”, explicou Albuquerque.

Com a nova quantia, o pastor informou que vai realizar os acabamentos que faltam no galpão de oficinas, cozinha e na construção dos banheiros. Também será efetuada a compra de equipamentos para a entidade.

O gestor municipal ressaltou a importância do compromisso pessoal de realizar a doação. “Quando vejo esses resultados, tenho ainda mais certeza que estou no caminho certo. O valor é pouco diante do serviço prestado pela Leão de Judá”, afirmou Amastha.

Associação 

A entidade Leão de Judá atua no tratamento e recuperação de dependentes químicos. Essas pessoas podem permanecer no local por um ano. Como a maior parte dos internos não tem condições financeiras para o tratamento, a manutenção da entidade se dá por meio da comercialização dos produtos fabricados pelos próprios internos.

Atualmente, 26 pessoas estão internadas, e com a ampliação mais 24 novas vagas serão abertas. São 250 metros quadrados de cobertura para habitação e mais 250 metros quadrados, que está finalizando a construção para as oficinas. No momento, as principais ações desenvolvidas pelos internos são a marcenaria e serralheria, com destaque para a fábrica de vassouras a partir garrafas pet, de sacolas, cuja matéria-prima é jornal, e torres metálicas para comunicação, além da produção de gesso. (Secom Palmas)