Estado

Foto: Divulgação

Os secretários estaduais e presidentes de autarquias já começaram a readequar os servidores após a extinção de 1.104 cargos. Os gestores deverão definir quem continuará nos quadros da pasta conforme informou ao Conexão Tocantins o secretário Estadual da Fazenda e membro do Comitê gestor do governo, Marcelo Olímpio.

“Cada gestor vai ter que trabalhar tentando adequar os cargos que ficaram  com o pessoal. É um trabalho de tentar organizar a Casa e temos que ver como vamos fazer”, afirmou. Ele conta que esta readequação é imediata nas pastas para que os servidores que foram exonerados não fiquem prejudicados. Olímpio conta que no caso da Sefaz, por exemplo, muitos cargos que eram necessários foram extintos.

O clima nas pastas é de insegurança entre os servidores contratados já que maioria aguarda para saber se continuará ou não no cargo.

O governo já publicou a Medida Provisória nº 12, que extinguiu 4.751 cargos, em Direção e Assessoramentos Superiores (DAS) e em Cargos de Provimento em Comissão (CPC) mas em contrapartida criou outros 3.647 cargos de Direção Estrutural (CDE) e de Assessoramento Direto (CAD). Os salários foram reduzidos.

Mesmo com o corte nos cargos e demissão de contratados o governo ainda não estimou quando deverá continuar com a convocação dos aprovados do Quadro geral.