Polí­cia

Foto: Ascom SSP

A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia Estadual de Investigações Criminais - DEIC, com apoio do Grupo de Operações Táticas Especiais – Gote e do Departamento de Inteligência e estratégia da PC, prendeu, na tarde desta última quarta-feira, 07, em Porto Nacional, uma quadrilha composta por seis pessoas que são acusadas de cometer vários assaltos a banco e explosões de caixas eletrônicos em alguns municípios Tocantinenses.

De acordo com informações do delegado, Evaldo de Oliveira Sousa, a prisão dos acusados se deu em virtude do cumprimento de mandados de busca e apreensão e prisão temporária que haviam sido expedidos pela Comarca de Novo Acordo, contra cinco homens acusados de terem participado de uma tentativa de assalto frustrada a agência do Banco Bradesco daquele município, no último dia 03 de março do corrente ano.

Na ocasião, os assaltantes foram perseguidos pela Polícia Militar, abordados e presos quando tentavam fugir em um veículo Pajero de cor prata, na rodovia que dá acesso ao município de Aparecida do Rio Negro. Desde a prisão dos acusados, a Polícia Civil, por intermédio da Deic e com apoio da Inteligência da Polícia Civil, deu início as investigações com o objetivo de desvendar todas as ações que eram executadas pela quadrilha, bem como identificar e prender todos os seus integrantes.

Desta maneira, a PC representou pela prisão preventiva dos cinco envolvidos na tentativa de assalto ao banco.

Após intensas investigações, a Polícia Civil recebeu a informação de que o ex-policial civil, Francisco Amilca Bezerra Leite e Muriel Santos Melo, estariam em uma casa em Porto Nacional na companhia de outros homens. Com apoio do Grupo de Operações Táticas Especiais – Gote, tropa de elite da Polícia Civil, a residência foi cercada e seis homens foram presos sem oferecer resistência.  

Na oportunidade, foram cumpridos os mandados de prisão temporária em desfavor de Francisco e Muriel. Na casa, a PC também encontrou; Antônio Sérgio Alves Pinheiro, 41 anos de idade, Carlos Antônio Rodrigues Aguiar, 38 anos, Guilherme Barros Siqueira Leite e ex agente prisional contratado, Dorismar José Benedito Júnior, 37 anos.

A Polícia Civil também apreendeu em poder dos acusados; 1 revólver calibre 38, dois  calibre 22, 1 revólver Taurus calibre 357, além de farta munição para ambas as armas. Também foram apreendidos, mediante cumprimento de mandado de busca e apreensão, quatro veículos, sendo dois gols, uma pick up Nissan Frontier e um veículo Hammer importado avaliado em mais de R$ 200.000,00 (Duzentos Mil Reais) que foram encontrados em uma revenda de automóveis pertencente a Muriel

Também foram apreendidos vários aparelhos celulares, pen drives e grande quantidade de jóias. Na residência do ex-policial civil, Francisco Amilca, também foi cumprido um mandado de busca que resultou na apreensão de uma pistola Taurus calibre 380.

De acordo com os delegados Liliane Amorim Albuquerque e Evaldo de Oliveira, a especialidade da quadrilha presa era fornecer o apoio e a logística, necessários aos assaltantes que, em sua maioria, vinham de outros estados a fim de cometerem assaltos a bancos e explosões de caixas eletrônicos no Estado do Tocantins.

Ainda, segundo os delegados, responsáveis pelo caso, as investigações serão intensificadas com o objetivo de prender os outros três integrantes da quadrilha que já tem mandado de prisão, expedidos e, se encontram foragidos.

Francisco Amilca, Dorismar Júnior, Antônio Sérgio, Carlos Aguiar, Muriel Santos e Guilherme Barros Siqueira foram indiciados por formação de quadrilha, crime tipificado pelo  Art. 288 do Código Penal Brasileiro e, após os trâmites legais serão encaminhados à Casa de Prisão Provisória de Palmas onde ficarão a disposição da justiça. (Ascom SSP)