Estado

Foto: Divulgação

Durante os meses de agosto e setembro o Tocantins sofre com o aumento da temperatura e baixa Umidade Relativa do Ar (UR%). Com isso, a Defesa Civil Estadual está intensificando as ações de combate e prevenção a queimadas ambientais e domésticas em todos os 139 municípios.

De acordo com o secretário executivo da Defesa Civil do Estado do Tocantins, Major José Filho, o tempo seco aumenta o risco de incêndios florestais, com isso recomenda-se à população não fazer fogueiras e também não jogar pontas de cigarros em áreas verdes, principalmente nas estradas. “Os motoristas que trafegam por regiões sujeitas a incêndios deverão ter atenção redobrada devido à visibilidade reduzida pela fumaça”, ressalta.

Para prevenir acidentes e orientar a população, o órgão envia, de segunda a sexta-feira, informativos de alerta climático a escolas e hospitais de todo o Estado, além de fazer a divulgação da previsão do tempo e de avisos meteorológicos, com índices da umidade do ar, principais focos de calor e recomendações gerais. Todas as informações também estão disponíveis no site www.defesacivil.to.gov.br.

A Defesa Civil orienta ainda que durante o período de estiagem algumas medidas devem ser adotadas de acordo com os índices da Umidade Relativa do Ar:

 De 30% a 20% - Atenção

- Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11 e 15 horas;

- Umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água e molhamento de jardins;

- Sempre que possível permanecer em locais protegidos do sol, como por exemplo, em áreas vegetadas;

- Consumir água à vontade.

De 20% a 12% - Alerta

- Observar as recomendações do estado de atenção emitido pela Defesa Civil;

- Não praticar exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10 e 16 horas;

- Evitar aglomerações em ambientes fechados;

- Usar soro fisiológico para olhos e narinas.

Abaixo de 12% - Emergência

- Observar as recomendações do estado de atenção e alerta emitidos pela Defesa Civil;

- Interromper qualquer atividade ao ar livre entre 10 e 16 horas, como aulas de educação física, coleta de lixo, entrega de correspondências, etc;

- Suspender qualquer atividade que exija aglomeração de pessoas em recintos fechados, entre 10 e 16 horas;

- Durante as tardes, manter úmidos os ambientes internos, principalmente quartos de crianças, idosos e hospitais.