Polí­tica

Foto: Divulgação

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP) em entrevista à Band comentou a possibilidade de ser candidato a governador do Tocantins. “É muito prematuro, temos muito trabalho para frente”, afirmou. Mesmo sem ter vice numa gestão, Amastha não descartou tal possibilidade.

Questionado se renunciaria ao cargo de prefeito para se candidatar no próximo ano Amastha deixou a dúvida no ar. “Se tiver cumprido missão estabelecida, porque não!? Acho muito difícil em tão pouco tempo conseguir cumprir tudo aquilo desejado”, disse. O pepista negou ter conversado com o secretário Eduardo Siqueira Campos sobre a eleição do próximo ano. “Não falo em aliança política se não estou acreditando na gestão”, disse.

O gestor defendeu um nome que venha de encontro com o desejo de mudança da população para 2014 .“Uma coisa é certa abrimos novos caminhos na política mãos forte no interior do que em Palmas as pessoas estão muito ligadas ao que acontece na capital. Acho que não preciso ser governador para promover essa mudança”, disse. Ele defendeu um candidato de perfil empreendedor que conheça o potencial do Estado.

Avaliando o governo estadual, ele frisou que nunca fez críticas á pessoa do governador e sugeriu inclusive que ele fosse candidato ao Senado. “ O governo está maculando a biografia do José Wilson Siqueira Campos. É um governo que acabou sem mesmo ter começado”, disse. Segundo ele, para o Senado nenhum cidadão negaria o voto ao Siqueira Campos para o Senado. O prefeito afirmou que está à disposição do governo para tratar de assuntos de interesse da cidade e que aguarda ser chamado pelo governador para discutir tais assuntos. “ Eu queria uma concorrência de quem fez mais por Palmas e não de quem atrapalha mais”, desabafou se referindo a compromissos que não teriam sido cumpridos pelo governo.

Ele disse que a falta de parceria por parte do Estado com relação à prefeitura não é um pensamento do governador e sim de algumas pessoas do governo.

Confira a íntegra da entrevista do prefeito aqui.