Polí­cia

Nesta última segunda-feira, 19, o Ministério Público Estadual (MPE), por meio da Promotoria de Justiça de Ananás, apresentou denúncia em face de Janiel Ferreira de Almeida Menezes.

Tomando por base o inquérito policial, o promotor de Justiça, Luciano Cesar Casaroti imputa ao acusado a prática dos crimes inseridos nos artigos 121, § 2°, incisos III, IV e V, do Código Penal (homicídio triplamente qualificado), artigo 217-A, § 1° (estupro de pessoa em condição vulnerável) e artigo 243, do Estatuto da Criança e do Adolescente (fornecimento de substância potencialmente causadora de dependência).

Segundo o promotor, Janiel teria praticado conjunção carnal com a menor Luciely, após a mesma ter ingerido produto de natureza entorpecente (bebida alcoólica), fato que a impossibilitou, naquele momento, de oferecer resistência. Além disso, teria, em seguida, asfixiado a vítima até o desmaio, submergindo, posteriormente, seu corpo nas águas do Rio Araguaia, levando-a a óbito. O promotor entende que, concomitantemente, ocorreu a ocultação do cadáver no leito do Rio.

Diante das ações que caracterizaram os crimes supracitados, além do caráter hediondo em que se deu a morte da vítima, o Promotor requereu a imediata prisão do acusado e o prosseguimento do processo, que deverá ser levado a Júri Popular.

Caso o acusado seja condenado pela prática de todos os crimes, a pena poderá chegar a 49 anos de prisão. (Ascom MPE)