Esporte

Foto: Elias Oliveira

A aluna-atleta gurupiense Ana Beatriz Nazeozeno, que, durante este último sábado, 07, venceu a Prova dos Pontos do Ciclismo, conquistou a primeira medalha para Tocantins nos Jogos Escolares da Juventude (Jejuve) da categoria 12 a 14 anos, que acontece em Natal, capital do Rio Grande do Norte.

Se na prova de contrarrelógio, realizada na última sexta-feira, 06, a Ana Beatriz não se saiu tão bem, ficando apenas na 15ª colocação, desta vez ela não quis dar chance ao azar, superando fortes concorrentes para entrar para a história da modalidade no Tocantins. “Apesar de ser a primeira vez que disputo os Jogos Escolares, eu esperava levar uma medalha para o Tocantins, mas sabia que ia ser difícil, porque tem algumas competidoras muito fortes. Agora estou orgulhosa por ser a primeira a ganhar uma medalha de ouro no Ciclismo e quero ganhar outra amanhã também e sei que posso conseguir”, disse a campeã Ana Beatriz, de apenas 13 anos, se referindo à disputa da prova de resistência, que ocorrem na manhã deste domingo, 08.

Pai, treinador e torcedor

Ciclista desde os 15 anos, Sérgio Nazeozeno da Silva não é apenas o pai de Ana Beatriz, ele soma à paternidade a condição de treinador e torcedor número um da filha, que o deixou muito orgulhoso com a conquista no esporte que ela escolheu praticar por se inspirar nele, que aposta em uma nova conquista da filha-pupila na prova resistência. “Já faz 18 anos que eu pedalo e a minha família toda vive o Ciclismo também. A Ana Beatriz já treina comigo tem bastante tempo, e ela faz este treinamento ao meu lado e ao de outros amigos meus, todos adultos e mesmo assim ela não fica para trás. Por isto que eu digo que eu fiz tudo o que pude e o que nem podia para vir acompanhá-la aqui em Natal por saber que ela tinha condição de ganhar medalha nas três provas do Ciclismo; e eu não falo isto só porque ela conquistou esta, eu falo porque ela é diferenciada mesmo e se dedica muito para ser boa, treinando todos os dias pelo menos uma hora e meia. Lamentei muito o fato da Ana Beatriz não ter conseguido medalha na Contrarrelógio, mas estou orgulhoso pelo ouro de hoje e estou confiante para uma nova conquista amanhã, já que a prova de Resistência é a mais forte dela”, destacou Sérgio, que fez questão de ressaltar em seguida: “por mais que eu ame o Ciclismo, eu jamais deixo que a minha filha coloque os estudos de lado. Estudar está em primeiro plano, por isto eu exijo dela que além de ir bem na escola, ela estude pelo menos três horas em casa também, até porque se ela não conseguir viver do esporte, como infelizmente eu não consegui, ela será uma pessoa instruída e poderá se tornar uma boa profissional em outra carreira”. (Ascom Seduc)