Polí­tica

Foto: Divulgação

A rejeição, por maioria de votos, das contas referentes ao exercício 2009, dos ex-governadores Marcelo Miranda e Carlos Henrique Gaguim, ambos do PMDB, pela Assembleia Legislativa na última quinta-feira, 5, levou o peemedebista Antônio de Pádua Soares Marques a solicitar  ao partido a instauração de um processo ético disciplinar contra os deputados Iderval Silva e Vilmar do Detran.

No documento, direcionado ao presidente regional do PMDB, Júnior Coimbra, ele alega que ambos violaram os deveres partidários, ferindo o Código de Ética da legenda.

Antônio de Pádua afirma ter ficado surpreso com a conduta dos dois deputados durante a sessão,  quando na votação da prestação de contas, eles - diferente dos outros dois parlamentares da sigla presentes, Josi Nunes e Eli Borges - não fizeram sequer manifestação de apoio pela aprovação das contas. Conforme aponta, Iderval Silva e Vilmar do Detran “em momento algum manifestaram apoio”.

Ele utiliza matérias publicadas em portais de notícias do Estado sobre a votação, onde que mostram, inclusive, lista de parlamentares que declararam ter votado a favor da aprovação das contas. Nem Iderval, nem Vilmar constam na listagem.

“Pelo que foi verificado, e pode ser confirmado por outros membros do partido que se encontravam presente na referida sessão. Verifica-se que os mesmos infringiram o artigo 9º, III é IV, dos deveres dos filiados, constante do Estatuto do Partido, combinado com o artigo 8º, III e Vi, do Código de Ética”, aponta, solicitando que a Executiva Estadual, encaminhe o pedido à Comissão de Ética e Disciplina, para as providências necessárias.

Para alguns peemedebistas dois deputados da legenda teriam votado contra o próprio partido. Um dos deputados que teria votado contra, na opinião de peemedebistas, Iderval Silva disse ao Conexão Tocantins após a votação que faltou mobilização e articulação política do PMDB para conseguir a aprovação das contas.

As contas de 2009 dos ex-governadores foram rejeitadas na última quinta-feira com um placar de 13 a nove. Após o painel registrar tal placar 11 deputados se manifestaram verbalmente dizendo que votaram pela aprovação das contas. O assunto gerou muita polêmica em plenário e parlamentares chegaram a pedir que a votação fosse feita novamente e ainda auditoria no placar mas o presidente Sandoval Cardoso (PSD) seguiu com a sessão.Ao contrário das contas de 2009 as de 2010 do ex-governador Gaguim foram aprovadas tendo apenas cinco votos contra