Polí­tica

Foto: Divulgação

Após informações de que a senadora Katia Abreu (PSD-TO) teria sido convidada por membros da cúpula nacional do PP para ingressar na legenda, muitos membros do partido não veem com bons olhos tal especulação. O PP é comandado atualmente no Tocantins pelo deputado federal Lázaro Botelho e tem como um dos principais nomes no Estado o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, o maior adversário político da senadora no Estado. Amastha por várias vezes criticou a família Abreu, principalmente a senadora.

O presidente do PP da capital e secretário de Relações Institucionais de Palmas, Tiago Andrino disse ao Conexão Tocantins que em nenhum momento dirigentes nacionais do partido comentaram ou consultaram as direções estadual e municipal com relação à possível filiação de Katia e que viu com estranheza a informação. “Isso é algo que tem que ter a participação do diretório municipal e estadual e não nos foi perguntado nada com relação a isto. Estamos tratando isto como especulação”, disse.

Andrino frisou que confia no partido com relação a tais decisões. “Confiamos que o partido respeita a direção estadual e municipal. Não queremos trazer uma adversária para dentro do partido isso vai contra a construção política que estamos montando”, frisou, acrescentando ainda que o PP defende a coerência política.

A direção estadual do partido informou ao Conexão Tocantins que desconhece qualquer cogitação ou conversa com relação ao assunto. " Não foi conversado nada com relação a isso", informou o partido. Botelho esteve ontem com o presidente nacional da legenda e inclusive nada foi tratado sobre o assunto, segundo alega o partido.

Progressista

O presidente municipal comentou ainda que apesar de ser uma adversária ferrenha à administração do PP na capital, Katia Abreu vem mudando alguns posicionamentos e que talvez ela esteja disposta a de fato aderir aos princípios do PP. “A senadora vem mudando algumas posições ao longo do tempo, ela tinha problemas com o PT com o ex-presidente Lula e hoje defende a Dilma, isso é um avanço. Ela teve problemas com movimentos sociais e hoje parece que isso vem mudando. Nada impede que ela seja progressista já que mostrou que é uma pessoa que muda muito”, frisou.

Para muitos pepistas, Katia não tem a real intenção de se filiar à legenda. Outro partido cotado para receber Katia é o PMDB que passa por um momento de muitas desavenças internas.