Educação

Foto: Divulgação

A Universidade Federal do Tocantins teve aprovado nesta quinta-feira (19) mais um curso de doutorado, desta vez em Ciências do Ambiente, no Câmpus da UFT em Palmas. A aprovação ocorreu nesta quinta-feira (19), na 149ª reunião do Conselho Técnico-Científico do Ensino Superior da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O resultado foi publicado na manhã desta sexta-feira, na página da Capes na internet.

Para o reitor da UFT, Márcio Silveira, a aprovação deste doutorado representa muito para a instituição. "Essa aprovação é o reconhecimento da competência do grupo que está à frente do programa de pós-graduação. São doutores competentes e comprometidos com os trabalhos desenvolvidos. É uma vitória expressiva da Universidade. É o reconhecimento da produção do conhecimento, da pesquisa feita na Universidade Federal do Tocantins". O reitor ainda destacou que esta é uma pós-graduação com bolsa, "onde o aluno não paga, mas ganha para estudar".

Ainda para o reitor da UFT, o novo curso consolida a UFT como referência nas questões ambientais do Tocantins. "Estamos na região da Amazônia, então é muito importante estudar esse meio ambiente tão complexo que tem o Tocantins, e para isso precisamos de profissionais, pesquisadores competentes".

A vice-reitora da UFT, professora Isabel Auler, destaca a evolução em ensino, pesquisa e extensão na área de meio ambiente na UFT. "A partir do curso de Engenharia Ambiental, o primeiro nesta proposta no Brasil, depois o primeiro curso stricto sensu do Estado - Mestrado - e agora o doutorado, 20 anos depois". Para a vice-reitora, a aprovação do doutorado mostra o fortalecimento do curso do curso de Engenharia Ambiental, voltado para questões características da região.

O pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, professor Waldecy Rodrigues frisa que a aprovação deste 5º doutorado "coroa a capacidade científica da UFT no campo das ciências ambientais. Além de fortalecer nossa capacidade de fazer ensino, pesquisa e extensão, permitirá uma formação local de doutores, fomentando a fixação destes no estado", diz. Para o diretor de Pós-Graduação, professor Abraham Zuniga, este doutorado "valida o trabalho de acompanhamento feito pela Universidade na busca pela qualidade de seus programas de pós-graduação junto à Capes".

Seleção

Segundo a coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente (que congrega agora dois mestrados e um doutorado), professora Adriana Malvásio, existe possibilidade de lançar ainda este ano a primeira seleção, para início da primeira turma já em 2014. "Serão dez vagas a cada ano; o tempo de curso é de três anos", destaca a coordenadora, enfatizando que o programa, na área de Ciências do Ambiente, trabalha com linhas de pesquisa em "Biodiversidade e Recursos Naturais" e "Natureza, Cultura e Sociedade", revelando seu aspecto interdisciplinar. "O Programa aceita, por estas características, todas as áreas de formação que envolvam a questão do Meio Ambiente".

Adriana diz que a aprovação do doutorado representa o amadurecimento do corpo docente. "Já temos cerca de dez anos do Mestrado em Ciências do Ambiente e agora temos aprovado nosso doutorado, uma vitória do trabalho desenvolvido pela Universidade", pontuou. A coordenadora diz que deverá reunir os docentes do Programa para discutir o edital de seleção e o perfil dos candidatos.

Com este doutorado, a UFT passa a ter 25 cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu. (Ascom UFT)