Campo

Foto: Divulgação

No Tocantins, o prazo para o término do Vazio Sanitário, período proibitivo para o cultivo da soja, com exceção das áreas de pesquisa científica e de produção de sementes, encerra no dia 30 de setembro. Esta medida que iniciou no dia 1º de julho, visa controlar e prevenir a ferrugem asiática, principal praga que ataca a cultura. Com isso, a partir de 1º de outubro fica autorizado à semeadura da oleaginosa.

A adoção da medida evita o aparecimento da doença na próxima safra, reduz custo de produção, pois a quantidade de uso agrotóxico é menor e consequentemente os impactos ambientais. “Dentro do manejo integrado de pragas é uma ferramenta de grande importância para controlar a ferrugem asiática, dar mais qualidade aos grãos e aumento de produtividade”, disse o coordenador de Inspeção, Educação e Sanidade animal da Agência de Defesa Agropecuária- Adapec, Luís Henrique Michelin.

Luís explica que o monitoramento durante o vazio sanitário é feito por amostragens nas maiores regiões produtoras de soja do Tocantins, são elas Nordeste, Central e Sul. 

Safra 2013/2014

A expectativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é de que na safra 2013/2014 seja produzido 1.536,4 mil toneladas de soja, contra 1.382,9 mil toneladas da safra anterior. A cultura ocupa uma área de 549,5 mil hectares, registrando um aumento de 21,8% em relação à safra anterior.