Estado

Foto: Edson Caldas/ATN

O Governador Siqueira Campos participou da abertura oficial do 1° Congresso da Indústria Tocantinense, realizado na manhã desta quarta-feira, 2, no Teatro Fernanda Montenegro, Espaço Cultural de Palmas. Com o tema “A transformação passa por aqui”, o evento que contou com a presença do ministro dos Transportes, César Borges, teve como foco principal infraestrutura e logística. Também participou do evento a senadora Katia Abreu.

Antes do evento, o Governador do Tocantins realizou um sobrevoo com os representantes do governo federal sobre o pátio multimodal da Ferrovia Norte-Sul e pela cidade de Palmas. Siqueira Campos destacou que a principal necessidade para alavancar o desenvolvimento industrial do Tocantins é a questão da infraestrutura. Para ele, é fundamental a estruturação das ferrovias e o funcionamento imediato da Norte-Sul. “Acabaram com as nossas ferrovias. Vamos colocar a Norte-Sul para funcionar imediatamente para o transporte de cargas e passageiros”, disse.

Do ministro dos transportes, Siqueira Campos ouviu o compromisso de tornar a ferrovia Norte-Sul trafegável, em toda a sua extensão, até o ano que vem. “O Tocantins pode ter certeza de que, se depender da nossa vontade, até o final do primeiro semestre do ano que vem, a ferrovia Norte-Sul estará funcionando de Ouro Verde a Açailândia, passando por Palmas”, completou.

Além disso, César Borges destacou o programa federal que deverá duplicar toda a extensão da BR 153, entre Anápolis e Palmas. “São 800 Km de rodovia que serão duplicados”, destacou. Sobre o projeto hidroviário do rio Tocantins, o ministro afirmou que até o final do ano a licitação para as obras de sobreposição do Pedral do Lourenço deve ser anunciada.

Durante a abertura oficial do congresso, o presidente da Federação das Indústrias do Tocantins (Fieto), Roberto Pires, também ressaltou a importância das obras para fomentar o setor industrial tocantinense. Ao fazer uso da palavra, ele concentrou o discurso na integração entre os setores industrial e agropecuário como forma de potencializar a economia do Estado. (Com informações da ATN)