Estado

Foto: Divulgação

No inicio da manhã desta quarta-feira, 16, cerca de 500 famílias do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) trancaram a rodovia Federal- Belém Brasília-BR-153 no Acampamento Olga Benário a 14 quilômetros da cidade de Fortaleza do Tabocão-TO. Os manifestantes dialogaram com os motoristas, trabalhadores e transeuntes sobre as demandas. A rodovia foi liberada às 10h45, segundo informou a PRF.

No Tocantins, esta ação que faz parte da jornada de luta do MST que se inicia a partir de hoje com participação e apoio de outros movimentos sociais e sindicais como MAB e CUT. 

“Na realidade este ato, é para denunciar/informar e chamar atenção dos governantes sobre o descaso da presidenta Dilma para com a reforma Agrária, que se encontra totalmente abandonada. Enquanto que o agronegócio avança sem limites de regras democráticas na agricultura brasileira, os órgãos de apoio estão sucateados / inoperantes e o campesinato sofre com a falta de desapropriação de terras, com o endividamento crônico e a ausência de uma política econômica de crédito”, afirma o dirigente do MST, Manoel Messias.

“No geral, essa ação conjunta pauta a Reforma Agrária e nosso posicionamento contra o agronegócio que avança de maneira feroz sobre o campesinato brasileiro, somos contra o grande projeto de desnacionalização que diariamente põe em risco a soberania do povo brasileiro” salienta o representante do movimento.

Outra alegação do movimento é que os povos ribeirinhos e indígenas, também tem sido constantemente ameaçados por suas diversas formas de atuação em defesa da soberania alimentar que está ligada a defesa dos nossos territórios, pois é lá que produzimos alimentos saudáveis.

A PRF informou que aproximadamente 200 manifestantes ligados ao MST interditaram totalmente a rodovia. A fila de veículo chegou a passar dos 20 quilômetros nos dois sentidos.Os manifestantes exigiram cestas básicas que foram prometidos às 400 famílias que se encontravam acampadas às margens da BR 153 no Km 372. A PRF negociou a liberação da rodovia com os manifestantes. (Com informações do MST e da PRF)