Estado

Foto: Divulgação

 O deputado Osvaldo Reis (PMDB -TO) destacou na tribuna da Câmara dos Deputados denúncia veiculada na mídia referente a fraudes no Instituto de Gestão Previdenciária do estado do Tocantins (Igeprev). Segundo ele, uma auditoria feita pelo Ministério da Previdência Social apontou inúmeras irregularidades na gestão dos recursos do instituto.

Osvaldo Reis afirmou que uma operação da Polícia Federal citou o ex -presidente do Igeprev Rogério Villas Boas como envolvido com a quadrilha que estaria desviando dinheiro de fundos de previdência. O parlamentar relatou ainda que entregou ao ministro Garibaldi Alves um dossiê com as denúncias e solicitou ao ministro o levantamento patrimonial dos ex-gestores. “Há o sumiço de mais de R$ 105 milhões que ainda não foi esclarecido. O povo tocantinense precisa de explicações dos responsáveis por essas operações fraudulentas, quem vai pagar a conta? Os prejuízos não podem ficar apenas como risco de mercado. Os desvios têm que ser apurados e os responsáveis severamente punidos”, argumentou. 

O deputado afirmou que ações temerárias de corretores não observaram a lei e não fizeram o melhor negócio para o Igeprev, causando perdas apuradas em torno de R$ 300 milhões entre 2011 e 2012. O parlamentar criticou ainda o governo do estado, destacando a “má qualidade” da prestação de saúde e segurança pública. 

“A saúde do estado está na UTI. As promessas feitas no palanque pelo atual governo ficaram no esquecimento. Quando a questão é segurança pública, o nosso estado revela um colapso. O governo reduziu o orçamento da segurança. A polícia está prejudicada pela falta de equipamentos para combater a violência e a criminalidade”. (Ascom Câmara Federal e deputado Osvaldo Reis)