Estado

Foto: Joatan Silva

Manifestantes da Mobilização Estadual dos Povos do Campo, das Águas e do Cerrado deixaram na tarde desta quinta-feira, dia 24, o pátio da sede da Secretaria Estadual da Agricultura e Pecuária (Seagro), que estava ocupada desde a manhã de quarta-feira, 23. A decisão ocorreu após uma rodada de reuniões entre o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e a Seagro, que intermediou os encontros e se comprometeu em encaminhar a pauta de 93 reivindicações, apresentada pelos manifestantes, às secretarias responsáveis pelas demandas, bem como ao governador do Estado, Siqueira Campos. 

Nesta quinta-feira, às 9h30, o grupo, acompanhado pelo superintendente de Assentamentos e Agricultura Familiar da Seagro, Marcelo Gualberto Caldeiro, participou de reunião com o presidente do Naturatins, Alexandre Tadeu, quando foram discutidos os pontos da pauta referentes ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) e demais demandas relativas ao meio ambiente.

Já no final da manhã os manifestantes se encontraram com a presidente do Ruraltins, Miyuki Hyashida, onde foi reivindicado o fortalecimento da autarquia, bem como incentivos à participação feminina na agricultura familiar, através da inclusão efetiva nos programas de financiamento rural.

Durante os dois encontros também foi levantada, pelos movimentos sociais, a necessidade da criação de um grupo de trabalho, envolvendo Seagro, Naturatins, Ruraltins e a Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semades), para o fortalecimento da agricultura familiar no Estado.

No fim da tarde, os manifestantes se reuniram com o secretário Jaime Café, que acompanhado do secretário executivo da Agricultura e Pecuária, Ruiter Pádua, deu prosseguimento às negociações e definiu os novos encaminhamentos. “A agricultura familiar é importante para o nosso Estado e na medida do possível vamos fazer tudo para que as demandas sejam atendidas”, ressaltou Café.

O secretário da Agricultura acrescentou que a Seagro continuará intermediando os agendamentos para a realização dos encontros com os gestores da Secretaria de Saúde; Agência de Máquinas e Transportes do Tocantins; Instituto Social Divino Espírito Santo – Prodivino /Secretaria de Trabalho e Assistência Social; Secretaria de Defesa Social e Secretaria de Desenvolvimento Agrário e Regularização Fundiária, dentre outros.

Manifestantes

A Mobilização Estadual dos Povos do Campo, das Águas e do Cerrado é composta por representantes da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Tocantins (Fetaet), o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Conselho Indigenista Missionário (CIMI), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Associação Alternativas para Pequena Agricultura no Tocantins (Apato) e Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag). (Ascom/Seagro)