Estado

Foto: Divulgação

Os servidores municipais dos quadros da Saúde, Educação e Quadro Geral de Taguatinga, região Sudeste do Estado, continuam em greve por tempo indeterminado. A greve iniciou na última segunda-feira, 11 e foi deflagrada em virtude do atraso no pagamento dos salários de: novembro, dezembro e 13º salários de 2012 dos funcionários do quadro da Saúde, e salários de dezembro e 13º de 2012 para os servidores do Quadro Geral. 

Na manhã desta terça-feira, 12, os servidores realizaram uma caminhada, passando de casa em casa, de comércio em comércio, conversando com a população e explicando os motivos da paralisação geral no município. Um dos comerciantes, que preferiu não se identificar, afirmou que considera justa a reinvindicação dos servidores. “Tem muita coisa a desejar hoje no município de Taguatinga. Os servidores estão certos de cobrarem seus direitos. A gente só tem a apoiar e parabenizar pela coragem que eles estão tendo”, contou. 

Está programada ainda uma manifestação pública sobre a greve, às 18 horas, na Feira Coberta do município.  

Segundo Dimar Crisóstomo, diretor regional sudeste do Sindicato dos Servidores Públicos do Estado do Tocantins (SISEPE-TO) que está acompanhando todas as mobilizações em Taguatinga, até às 12 horas desta terça-feira, a Prefeitura Municipal ainda não havia emitido nenhum posicionamento oficial diante do movimento grevista, nem buscado reatar o diálogo com os servidores públicos. 

Direitos dos Servidores

Além do recebimento dos atrasados, outras reivindicações dos servidores municipais de Taguatinga são: elaboração do Plano de Cargos e Carreiras (PCCR), atualização do Estatuto do Servidor e atualização do Regime Próprio de Previdência Social, o TaguaPrevi. (Ascom Sisepe)