Estado

Foto: Héber Fidelis/TJTO

Foi aberta oficialmente na manhã desta segunda-feira, (02/12), no Fórum de Palmas, pela presidente do Tribunal de Justiça do Tocantins, desembargadora Ângela Prudente, acompanhada do juiz coordenador da Conciliação, Gilson Coelho Valadares e autoridades, a Semana Nacional da Conciliação. Valadares reforçou a missão dos envolvidos na semana de conciliação. “Nós, na condição de conciliadores, temos o papel de salvar vidas”, disse.

Durante seu pronunciamento o juiz Gilson Coelho relembrou um momento de sua carreira quando recebeu o agradecimento de um réu que teve sua vida transformada por meio da Justiça Conciliadora. E deixou a mensagem, “Tratem bem as partes, os promotores, defensores, se não tiver acordo, ao menos farão amigos”.

O diretor do Fórum de Palmas, juiz Pedro Nelson também reforçou a importância das boas relações, afirmando que o trabalho dessa semana deverá ser de humanidade. E disse aos conciliadores voluntários, “vocês darão confiança a essas pessoas para que eles possam entrar em um acordo. A conciliação além de trazer celeridade, trará cidadania, o cidadão se sentirá amparado”.

Com o slogan, “Eu concilio, você concilia, nós ganhamos” a Semana Nacional da Conciliação realizará até sexta-feira (06/12) 3.832 audiências, destas cerca de 800 ocorrerão no Fórum de Palmas, envolvendo aproximadamente 100 voluntários. De acordo com coordenador da Central de Conciliação em Palmas, juiz Nelson Coelho Filho, serão 18 salas com audiências simultâneas na busca por acordos.

O juiz também reforçou que no Tocantins as conciliações ocorrem o ano inteiro e que por dia a Central de Conciliação realiza em média 30 audiências. “Desde o primeiro momento em que o CNJ implantou a Conciliação o Tribunal de Justiça acompanhou. Sempre apostamos nessa ideia”. 

A importância da conciliação também foi argumentada pelo vice-corregedor Geral de Justiça, desembargador Ronaldo Eurípedes. “A conciliação leva a vantagem de promover a paz social. É possível levar satisfação a todos os envolvidos”, afirmou.

Fechando a programação de abertura a presidente do TJTO, desembargadora Ângela Prudente, agradeceu o empenho e participação dos servidores e voluntários. Parabenizou o juiz Gilson Coelho Valadares pelo trabalho à frente da coordenação estadual e afirmou “a conciliação retira os riscos da injustiça, pois as partes decidem seus conflitos, colocando fim à ação. Assim, promove uma Justiça mais simplificada, mais digna e mais célere”.

Dispositivo de Honra

O Dispositivo de Honra foi composto além da presidente do TJTO e do juiz coordenador Estadual do Movimento pela Conciliação, pelos juízes Pedro Nelson e Nelson Coelho Filho, o vice-corregedor de Justiça, desembargador Ronaldo Eurípedes, o procurador Geral do Estado, André Luiz de Matos Gonçalves, o presidente da OAB, Epitácio Brandão, O presidente da Asmeto, Helvécio de Brito Maia, a promotora de Justiça Vânia de Lima Silva e a defensora Pública Arlete Muniz. Também estiveram presentes; o desembargador Eurípedes Lamounier, a juíza convocada do TJTO, Adelina Gurak, os juízes Océlio Nobre e Luiz Otávio de Queiroz Fraz e o superintendente da Polícia Federal Robinson Fuchs.

Semana da Conciliação

A abertura oficial da Semana da Conciliação foi transmitida via satélite para as 41 comarcas do interior do Estado. Ao todo 26 comarcas participam da Semana: Almas, Ananás, Araguacema, Araguaçu, Araguaína, Arapoema, Arraias, Augustinópolis, Colinas do Tocantins, Colméia, Dianópolis, Goiatins, Guaraí, Gurupi, Itacajá, Miracema, Miranorte, Natividade, Palmas, Palmeirópolis, Pedro Afonso, Ponte Alta, Tocantínia, Xambioá e Wanderlândia.

A Semana Nacional da Conciliação é uma realização do Conselho Nacional de Justiça – CNJ, juntamente com os Tribunais Estaduais. A audiência de conciliação é uma oportunidade para que as partes, mediadas por um conciliador, busquem um entendimento mútuo e cheguem a um acordo satisfatório.

Vídeo Conciliação

Durante a abertura foi exibido um vídeo sobre a conciliação, encenado pela servidora Andréia Marinho e pelo juiz Gilson Coelho que também dirigiu o roteiro. A produção foi realizada pelo TJTO, por meio da Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat).

Visita

Ao final da abertura, a desembargadora Ângela Prudente, visitou as salas no Fórum de Palmas, onde as audiências serão realizadas na semana.