Estado

Foto: Divulgação

O secretário de Relações Institucionais e pré-candidato ao governo estadual, Eduardo Siqueira Campos ainda não confirmou se comparecerá à audiência no Senado Federal no dia 10 onde será discutida a situação do Igeprev. Eduardo já recebeu o convite para participar.

"O referido convite chegou ao titular da Secretaria de Relações Institucionais na condição de convidado expositor para falar sobre a situação do fundo. Como informado anteriormente, o secretário não autorizou e nem ao menos aprovou qualquer operação do instituto pois apenas presidiu a reunião de abertura do conselho do órgão. Diante disso, o que teria a esclarecer?", informou a assessoria do secretário ao Conexão Tocantins.

Eduardo afirma ainda que a senadora Katia Abreu, autora do requerimento, teria intenções eleitoreiras ao pedir que ele seja convidado para a audiência mas não ter incluído o atual presidente do órgão, Rodrigo Oliveira e ainda os ex-gestores do órgão. “Ao não convidar algum ex-presidente ou atual ou ainda técnico responsável por aplicações ou ao menos dois gestores já condenados e que ainda não devolveram os valores requeridos e estão com bens bloqueados, a autora do requerimento deixa evidente a intenção eleitoreira da iniciativa. Qual esclarecimento poderia ser dado pelo secretário que jamais autorizou qualquer operação?”, disse.

Eduardo questiona ainda qual o envolvimento do Tocantins na Operação Miqueias que investigou a quadrilha do doleiro Fayed Traboulsi. "A autora do requerimento cita a operação da Polícia Federal que não realizou uma busca, prisão ou apreensão no Tocantins. Quantos fundos tiveram problemas além do Igeprev e qual motivo de não terem sido convidados outros presidentes e operadores?", questionou.

O secretário informou ainda que o Estado vai à Justiça para reaver o que aplicou em fundos que operavam autorizados pelo Banco Central , CVM e Previdência.