Polí­tica

Foto: Divulgação

Pelo segundo ano consecutivo, a deputada federal Dorinha Seabra Rezende (Democratas/TO) foi considerada a parlamentar tocantinense que mais atuou no Congresso Nacional, segundo o “Ranking do Progresso”, divulgado na edição desta semana da revista Veja.

Neste ranking, Professora Dorinha ocupa a 25ª posição. São treze posições acima em relação ao ano passado, quando a parlamentar ficou em 38° lugar no ranking. Os parlamentares tocantinenses citados no ranking foram Nilmar Ruiz (PEN) na 31ª posição, Angelo Agnolin (PDT) na 36ª, Osvaldo Reis (PMDB) na 42ª, Lázaro Botelho (PP) na 44ª, Júnior Coimbra (PMDB) na 47ª e César Halum (PRB) na 55ª. Em primeiro lugar ficou o deputado Onofre Santo Agostini (PSD/SC).

Parlamentar de primeiro mandato, Professora Dorinha comemorou a notícia e disse que, apesar de ser de um partido considerado oposição, busca fazer o seu trabalho como deputada da melhor forma possível. “O trabalho de um deputado é mais difícil do que se imagina. Muitas vezes a politicagem e a burocracia internas acabam por impedir o avanço de discussões e projetos importantes para o nosso país e todo trabalho que tivemos lá dentro acaba desperdiçado. Mas não dá para desanimar, é preciso seguir em frente e fazer o que nos cabe”, afirmou.

A luta da Professora Dorinha em defesa da bandeira da Educação dentro da Câmara já é notória, tanto que o seu desempenho ganhou destaque e reconhecimento entre os deputados até mesmo da base governista. Além da educação, Dorinha atua nas áreas em defesa da ciência e tecnologia, da mulher, da criança e do adolescente, políticas sobre drogas, cultura, entre outras.

Das ações analisadas pela Veja, a Deputada Dorinha foi atuante em todas. Votou favoravelmente a proposições como o Plano Nacional de Educação, royalties do petróleo para a Saúde e Educação, o voto aberto, PEC das domésticas, dos agentes de saúde, Estatuto da Juventude etc.

Ranking

O ranking do progresso foi elaborado a partir do posicionamento de deputados federais e senadores em relação a propostas de ajuste na legislação brasileira capazes de contribuir para a consolidação de um país mais moderno e competitivo. A iniciativa leva em conta nove eixos considerados fundamentais para que se alcance tal objetivo. São eles:

- carga tributária menor, mais simples e sem impostos em cascata;

- Infraestrutura;

- combate à corrupção;

- melhor gestão de gasto público;

- sistema educacional universal e eficiente;

- marco regulatório claro e respeitado;

- simplificação de regras e poda da salva burocrática;

- governabilidade;

- relações trabalhistas.

Em parceria com o Núcleo de Estudos sobre o Congresso (Necon), do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Iesp-Uerj), Veja se debruçou sobre 243 proposições de maior relevância entre as centenas de projetos de lei, medidas provisórias e propostas de emenda à Constituição que tramitaram na Câmara e no Senado em 2013. Classificou, então, aquelas que se enquadravam, favorável ou desfavoravelmente, nos nove temas predeterminados. Sobre essa lista, o Necon trabalhou com uma metodologia que desenvolveu levando em conta todas as etapas e caminhos de uma proposição, de sua gênese aos trabalhos dentro das comissões, até o voto final, com peso específico para cada uma das fases.

Antes, porém, da entrada em cena do Necon, a revista aplicou uma "cláusula de ética" na relação dos parlamentares responsáveis pelas proposições, expurgando aqueles envolvidos em escândalos ou de reputação duvidosa. Para tanto, VEJA se valeu de critérios próprios e de levantamentos da Transparência Brasil, organização independente e autônoma comprometida com o combate à corrupção. O resultado foi submetido à minuciosa análise do advogado Alexandre Fidalgo, do escritório EGSF, que se aprofundou na situação de deputados e senadores tendo em vista a Lei da Ficha Limpa, que passou a vigorar, em eleições, a partir de 2012, controlando o acesso ao Congresso de políticos desonestos.

O perfil dos congressistas que acabaram recebendo uma melhor pontuação no ranking de 2013 trata-se de um grupo de parlamentares que exibem em seu currículo uma vasta experiência política, dentro e fora do Legislativo. (Com informações da Veja)