Polí­tica

Foto: Divulgação

O ano eleitoral chegou e até o momento no Tocantins sete partidos já lançaram pré-candidatos ao governo do Estado para o pleito de outubro. As articulações políticas vão se intensificar e até as convenções as chapas serão de fato montadas. Com base no quantitativo de forças políticas há grandes chances do Tocantins ter três candidatos competitivos nas eleições o que pode levar a um segundo turno para a disputa ao governo.

O governo atual que tem à frente o governador Siqueira Campos (PSDB) tem como nome lançado o ex-senador e ex-secretário de Relações Institucionais, Eduardo Siqueira Campos que é do PTB. No grupo de partidos da base do governo estão atualmente o PPS, PEN, DEM, PSB e Solidariedade.

Na oposição ao grupo palaciano estão dois grupos: um formado pelo PMDB, maior adversário dos Siqueiras e ainda o intitulado de terceira via que é composto pelo PT, PP, PCdoB e PSL. Também na linha de oposição mas ainda sem se juntar a um desses dois grupos está o PROS.

No PMDB vários nomes são cogitados para encabeçar a majoritária mas os dois nomes ventilados são o do ex-governador Marcelo Miranda e o da senadora Katia Abreu.

No PROS o presidente regional, Ataídes Oliveira é o pré-candidato. Ele, que chegou a criticar os outros partidos de oposição, afirmou ao Conexão Tocantins que só Deus pode tirar sua pré-candidatura.

Na terceira via os pré-candidatos são: pelo PP, o empresário Roberto Pires, pelo PT, Nicolau Esteves e pelo PSL o ex-ministro e secretário de Desenvolvimento Econômico de Palmas, Borges da Silveira e ainda o suplente de senador Marco Antônio Costa. O grupo deve ainda agregar outras legendas como o PR, PTN e PRTB. O PRB, comandado pelo deputado federal Cesar Halum também deve integrar o grupo.

Outras legendas menores também lançaram nomes como pré-candidatos como é o caso do PTdoB que trabalha o nome do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos, Cleiton Pinheiro e ainda do PV do deputado Marcelo Lelis que já disse que pretende compor na majoritária.