Palmas

Foto: Divulgação

A Secretaria Municipal do Desenvolvimento Social (Sedes), através da Diretoria de Proteção Especial, acompanhada da Guarda Metropolitana de Palmas, realizou no decorrer desta semana uma operação de acolhimento a moradores de rua, que se encontravam na 1.206 Sul.

Durante a operação, quatros pessoas foram acolhidas e encaminhadas para o Instituto Rehma, no jardim Taquari. A Instituição tem como propósito abrigar e recuperar moradores de rua e usuários de entorpecentes.

O senhor Luiz Orione, 65 anos, morador de rua, foi identificado e será encaminhado para sua família na cidade de origem. Todos que foram acolhidos estão abrigados, recebem alimentação, serviço de higiene pessoal, e são cadastrados nos programas sociais da Sedes.

A diretora de Proteção Social Especial, Telma Correia de Oliveira, destacou que todos os moradores de rua eram pessoas idosas do sexo masculino. “Foi realizado um trabalho de busca ativa, pela Rede de Proteção Social do Município, quando ficou constatado, que, pelo menos dois idosos, moradores de rua, foram abandonados pelas famílias. Ambos acolhidos por técnicos de serviços sociais e psicólogos da Sedes. A ideia é dar uma qualidade de vida melhor para eles e tentar reaproximá-los de seus familiares", afirma.

“O atendimento visa fortalecer os vínculos familiares, prevenir o abandono, combater estigmas e preconceitos, assegurar proteção social imediata e atendimento interdisciplinar”, ressalta Telma Correia.

O pastor Domingos Ferreira de Souza, da Igreja Evangélica Internacional Rhema, destaca que há três anos construiu na associação de Taquari, uma ala masculina para atender moradores de rua. “Esta associação é fruto de um trabalho voluntário e contamos com a colaboração de voluntários e as cestas básicas que recebemos da Sedes. O local tem capacidade para abrigar cerca de 30 pessoas, hoje abrigamos doze que precisam de cuidados e dedicação. Todos chegam fragilizados, desempregados e sem formação profissional. Nosso objetivo é curar as feridas e sarar as cicatrizes que marcaram essas almas”, desabafa. 

 A titular da Sedes, Maria Luiza Felizola Leão Gomes, destacou que já está previsto para este ano a implantação de novos projetos para atendimento da população carente. Entre esses projetos, a construção do Centro de Referência Especializado de Assistência Social para abrigar a População em Situação de Rua (Creas-Pop) e também o Serviço de Acolhimento Institucional para Pessoa Idosa em Situação de Rua.

 “A ação realizada nesta semana alcançou os objetivos traçados, graças à integração entre os órgãos envolvidos. Continuaremos trabalhando para atender as demandas da população em situação de vulnerabilidade social, que vivem nas ruas", enfatizou Maria Luiza.

Rede de proteção social

 A rede de proteção social é uma ação integrada entre instituições, para atender a população  em situação de risco pessoal: sob ameaça e violação de direitos por abandono, violência física, psicológica entre outras formas de submissão que provocam danos e agravos físicos e emocionais.