Esporte

Foto: Divulgação

As perspectivas para a área do Esporte no Tocantins podem ser mais otimistas para este ano de 2014 se as demandas apontadas pelos presidentes de Clubes durante encontro na semana passada forem cumpridas por parte da Federação Tocantinense de Futebol (FTF) e da Secretaria Estadual do Esporte. O encontro foi um marco na área do Esporte conforme analisou o desportista e incentivador da área no Estado, Osvaldo Durães. “O Estado nunca teve uma política de Esporte definida inclusive nesses 25 anos e essa foi a primeira reunião para tratar de melhorias no esporte do Estado”, disse.

Durães foi um dos organizadores do evento junto com o  presidente de honra do Interporto e prefeito de Porto Nacional, Otoniel Andrade. Cada dirigente de clube teve oportunidade de apontar suas reivindicações. Uma reunião deve ser agendada diretamente com o governador Siqueira Campos para levar a carta confeccionada em conjunto entre os representantes e até isso se concretizar o clima é de instabilidade segundo Durães. “O secretário não levou nenhuma proposta financeira concreta para os clubes ou alguma proposta de melhoria para o Esporte”, disse.

O desportista defende que o governo acompanhe e incentive mais os clubes principalmente em campeonatos nacionais. “O Estado e a Federação precisa acompanhar os clubes nas competições a nível nacional. O Imagine, por exemplo, perdeu por 12 a zero na Copa São Paulo esse ano e foi piada a nível nacional através da repercussão na mídia. O Tocantins precisa de uma política de esporte definida urgente e principalmente de incentivo não só no futebol como em todas as modalidades”, apontou.

Durães ressaltou que os clubes ainda aguardam o pagamento de R$ 50 mil que deveria ser repassado ano passado para as equipes que participaram do Campeonato Tocantinense. Outra insegurança é com relação ao Campeonato que começa dia 22 de fevereiro e até agora o governo ainda define qual será o valor do incentivo que será repassado para os clubes.

Durães afirma que o governo não pode desapontar os clubes com relação ás demandas apresentadas em carta que aponta oito questões que foram o centro do debate no encontro. Na reunião ele se manifestou a favor da melhoria da situação financeira dos clubes, através de repasse de recursos, ou programas de parceria, no valor de R$ 100 mil por clube. “A carta gerou expectativa e o governo não pode decepcionar”, acrescentou.

Na carta ao governador os representantes do esporte pediram ainda Liberação das emendas parlamentares, até o valor total de R$ 1 milhão, ainda no mesmo ano de sua inscrição no Orçamento, Ajuda na divulgação dos campeonatos, mais segurança nos estádios além da transferência da gestão dos Estádios para as Prefeituras.

A reunião contou com a participação de José Nilton Dantas, presidente do Miracema do Tocantins; Wilson Castilho, presidente do Gurupi; Cabo Dias, presidente do Interporto; Richard Sanches, presidente do Palmas; André Wildner, diretor de futebol do Guaraí; Antônio Cardoso, presidente do Colinas; João Luiz de Carvalho, presidente do Araguaína; Salim Milhomem, presidente do Tocantinópolis, além de gestores e autoridades municipais e estaduais.

Estádios

A necessidade de melhoria dos estádios foi um pedido em comum por parte dos representantes dos clubes na reunião e é uma preocupação também do desportista Osvaldo Duraes. “A situação geral é precária e caótica. Tem estádio que infelizmente é até caso do Ministério Público chegar lá e fechar porque não tem banheiro funcionando, nem água potável. Falta até cobertura e para raio”, diagnosticou.

O Estádio Nilton Santos na capital, conforme Durães, também não tem banheiro e está abandonado. “A cabine de imprensa foi destruída com a chuva e não tem banheiro. É um total desrespeito com o estatuto do torcedor”, apontou.  O Mirandão em Araguaína, cidade onde Durães também tem atuação na área esportiva e acompanha a situação dos clubes, também não está em boas condições e atualmente funciona com restrição de público por causa da interdição parcial feita pelo Corpo de Bombeiros. “É um estádio que custou mais de R$ 20 milhões e depois de pronto nunca mais teve manutenção. A capacidade é para 10 mil pessoas e hoje apenas duas mil podem assistir aos jogos. Ou seja está quase 85% interditado. A grama mais parece pasto e infelizmente o torcedor araguainense não tem um espaço como deveria ter para assistir aos jogos”, analisou.

Incentivo ao Esporte

O desportista Osvaldo Durães trabalha na área esportiva no Tocantins desde 2008 e é um incentivador de vários atletas, times e equipes do Estado. Já patrocinou o Araguaína Esporte Clube que passou da Série D para a Série C além de atletas como o corredor de rua Eliesio Miranda, Ronielson, um dos principais nomes do Jiu-Jitsu do Tocantins e que já foi campeão, o ciclista araguainense Jean Pereira que conquistou podium durante o Campeonato Brasileiro Master e Sub 30 de Ciclismo além de várias equipes de vôlei de areia do Estado.

Em Palmas Durães sempre deu sua parcela de contribuição para incentivar o esporte em várias modalidades. O empresário apoia a Escolinha de Futebol da Aureny III que atende 160 crianças e que foi vice-campeã mundial do torneio de base no Paraná perdendo apenas para o Atletico Goianiense nos pênaltis.

Como defensor do esporte Durães não ficou de braços cruzados quando o Palmas Futebol e Regatas estava com problemas de ordem financeira e ajudou o time no momento difícil. Com a ajuda o time conseguiu ser vice-campeão e garantiu acesso à primeira divisão em 2012. Para Durães os empresários precisam incentivar as práticas de esporte por isso sempre ajuda atletas com viagens, uniformes para jogar, patrocina o futsal feminino do Estado, o futebol feminino de campo de Palmas que vai disputar o torneio da Copa do Brasil. No Sul do Estado o empresário também contribui desde 2011 com o Gurupi Esporte Clube e também para a realização do futebol feminino da cidade. Em Porto Nacional o clube Interporto também sempre conta com atenção e incentivo financeiro por parte de Durães que contribui ainda com o Guaraí e Tocantinópolis.