Estado

Foto: Divulgação

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO) e pré-candidato ao governo pelo PP, Roberto Magno Martins Pires, reafirmou que o Tocantins possui uma das cargas tributárias mais elevadas do país, ocupando a 10ª colocação no ranking nacional, elaborado e divulgado pela Confederação Nacional da Indústria, CNI, em parceria com o Sebrae.

A declaração de Pires vem depois do secretário Paulo Massuia encaminhar nota ao Conexão Tocantins onde questionou as críticas do empresário sobre o apoio do Estado para as empresas. Massuia chegou a dizer que as informações de Pires são equivocadas e que ele estaria prestando um desserviço para o Tocantins.

“A política tributária adotada pelo Governo Estadual reduz a capacidade das empresas tocantinenses de aumentar o crescimento e a competitividade, dificultando o processo de desenvolvimento industrial, uma vez que muito mais indústrias que poderiam ser instaladas no Estado, optam por outras regiões”, destacou Pires.

Dados da CNI, no que se refere ao Super Simples, apontam ainda um percentual de 6,9% de custos com a carga tributária no Tocantins com relação ao faturamento das empresas, enquanto a média nacional 6,5%. “Em relação ao relatório de gestão do secretário de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação, Paulo Massuia, as informações apresentadas não refletem a realidade percebida pela classe empresarial e o meu papel à frente da Fieto é defender os interesses da indústria”, concluiu o presidente.