Palmas

Foto: Divulgação

Em audiência pública, realizada nessa quarta-feira, 29, a Prefeitura de Palmas apresentou à sociedade palmense o projeto do Bus Rapid Transit (BRT). O encontro contou com a participação de representantes de entidades de classe, sindicatos, associações, movimentos sociais, entidades acadêmicas, secretários municipais e estaduais, vereadores entre outros segmentos da sociedade civil organizada. O projeto é uma iniciativa da Prefeitura de Palmas, através do Instituto Municipal de Planejamento Urbano de Palmas (Impup), em conjunto com a Secretaria de Acessibilidade, Mobilidade e Transporte (Samot). 

Na ocasião, o presidente do Impup, Luiz Masaru Hayakawa, explicou o projeto e em seguida foram tiradas as dúvidas da população. “O BRT prevê a instalação de uma via rápida de transporte dinâmico de passageiros no canteiro central da Avenida Theotônio Segurado, ligando de um lado o Setor Santo Amaro e de outro uma bifurcação que dividirá os caminhos a Taquaralto e Taquari”, ressaltou o presidente.

Masaru citou a cidade de Curitiba como exemplo de organização urbana, onde já existe o BRT. O presidente do Impup que trabalha há décadas no planejamento de Curitiba citou também Los Angeles  que copiou este sistema de transporte. “Este projeto é para os próximos 30 anos e para atender uma população de 2,5 milhões de habitantes. Pensamos na cidade como um todo associando o desenvolvimento urbano à qualidade de vida da população”, afirmou.

A extensão do corredor será de 30,3 Km, com 28 estações de passagens, sete estações de integração sendo duas estações de integração multimodais (trincheiras) e mais cinco futuras. O projeto conta com dois terminais (Urbano em Taquaralto / Metropolitano na Av. LO-27), 16,92 km de ciclovia com largura de 3m. Serão 85.720 m² de calçadas acessíveis em piso intertravado e com sete pontes, viadutos, elevados, sendo quatro exclusivos para o BRT.

População

A estudante de Administração do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), Magna Batista Gama, aprovou o projeto e destacou as melhorias. “Moro na região Norte e os ônibus demoram muito, principalmente quando tenho as aulas no fim de semana. Além de mais rápido é mais seguro”, afirmou Magna.

O estudante de jornalismo da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Djavan Barbosa, falou dos benefícios para os moradores da região Sul. “Este projeto com certeza vem contribuir para os palmenses, moro no Aureny III e para quem usa o transporte coletivo sofre com o desconforto do atual sistema. O BRT vai permitir mais agilidade, segurança e conforto para os usuários”, garantiu Barbosa.

O presidente do Sindicato dos Mototaxistas, Pedro Tito, falou das vantagens para os palmenses com o novo sistema de transporte e pediu a participação da categoria no projeto. “Sem dúvida o BRT vai fomentar o crescimento da nossa Capital e com certeza queremos ter acesso ao sistema para que possamos contribuir para este avanço fundamental em nossa cidade”, explicou Tito.

Para o professor da UFT, George Brito, a implantação do BRT vai garantir à população mais qualidade de vida. “Este é o primeiro projeto que esta cidade viu que realmente visa beneficiar e trazer mais qualidade de vida para os palmenses”, declarou Brito.

O secretário executivo de Governo e Relações Institucionais, Adir Gentil, lembrou que a Prefeitura está buscando obedecer todos os critérios do Estatuto das Cidades. “Em cada detalhe do projeto foi abordado, pensado, planejado e estudado tudo de acordo com o Estatuto das Cidades porque nossa prioridade é fazer de maneira correta”, afirmou.

Dúvidas

Entre as dúvidas apresentadas, foi abordado como será feita a integração dos usuários, os prazos para execução do projeto, as questões de mobilidade e acessibilidade, preservação ambiental, custos para os usuários e segurança.