Educação

Foto: Aldemar Ribeiro

As escolas da rede estadual de ensino retornam às aulas a partir desta segunda-feira, 3, em todo o Tocantins. Ao todo, mais de 180 mil alunos voltam às atividades escolares nas 538 escolas estaduais, incluindo as 50 que funcionam no sistema de Educação de Tempo Integral. A abertura oficial do ano letivo será feita em evento oficial no Centro de Ensino Médio de Taquaralto, a partir das 9h.

De acordo com a secretária de Estado da Educação e Cultura (Seduc), Adriana Aguiar, a expectativa para 2014 é que o ano seja de muita produtividade e desenvolvimento do sistema público de ensino no Tocantins. “Nós esperamos um ano bastante produtivo e que, sobretudo, os nossos alunos retornem às aulas com vontade de aprender e que os nossos professores estejam motivados para mais um ano letivo que inicia”, disse.

Em relação aos professores, na última sexta-feira eles passaram por um curso de formação continuada voltado ao trabalho educacional de todo o ano letivo. “Foi a oportunidade de o grupo do governo sentar e fazer uma avaliação sobre o ano de 2013, sobre todas as ações e fazer o planejamento para este ano”, pontuou a secretária.

Obras

Com grandes investimentos que superaram a marca dos R$ 180 milhões desde 2011, o governo do Estado vem estruturando as unidades escolares tocantinenses com obras que vão desde a cobertura de quadras poliesportivas, reforma e ampliação de escolas, até a construção de unidades novas em todas as regiões do Tocantins. “A Seduc fez uma análise técnica de nossas estruturas e efetivamos melhorias em grande parte das nossas escolas”, frisou.

Além disso, como parte dos investimentos em educação, o fortalecimento do ensino em tempo integral foi um norte importante assumido pela gestão estadual, o que culminou em 50 escolas oferecendo esta modalidade de ensino para uma população de mais de 103 mil estudantes em todo o Tocantins. Para 2014, a meta, segundo a secretária é manter a política de fortalecimento da Educação de Tempo Integral. “É um ano para trabalharmos não somente a ampliação da oferta de ensino integral, mas também a questão da implementação das estruturas escolares para o ensino público de qualidade”, completou Adriana Aguiar. (ATN)