Polí­tica

Foto: Valério Zelaya

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha, apresentou a membros do Conselho de Desenvolvimento Econômico da Capital os projetos municipais para ações ligadas à mobilidade e acessibilidade com foco no modelo de estacionamento rotativo a ser implantado na cidade. O encontro aconteceu na tarde de terça-feira, 11, no Gabinete II da Diretoria de Meio Ambiente.

A classe empresarial teve a oportunidade de acompanhar a demonstração detalhada do projeto que prevê criação de dez mil vagas para o Sistema de Estacionamento Rotativo Pago (SERP). O modelo permitirá que o veículo ocupe uma vaga pelo tempo máximo de quatro horas democratizando e aumentando a oferta nos estacionamentos públicos da cidade.

O projeto foi bem recebido pelos empresários. Para o presidente do Conselho, Fabiano do Vale, a reunião foi uma grande oportunidade de entender o planejamento do Município. Ele se posicionou favorável à medida. “Somos a favor desta cobrança porque vai haver mais vagas e isto significa mais perspectiva de vendas para o comércio”, ressaltou o empresário.

E este é o objetivo da gestão municipal. “Nossa prioridade é possibilitar aos motoristas mais facilidade na hora de estacionar na frente de uma loja e viabilizar meios aos transeuntes de se locomoverem nas calçadas para poder fazer suas compras. Esta forma de organização prioriza o desenvolvimento econômico da cidade”, explicou Amastha.

Durante o encontro foi discutido ainda a possibilidade de redefinir o espaço público a fim de reenquadrar locais que poderão ser destinados ao tráfego de pessoas e de carros até que o SERP seja implantado.

Entenda o SERP

Em princípio, o SERP funcionará em 5.500 vagas na região central da cidade de segunda a sexta-feira em horário comercial, das 8 horas às 18 horas. Aos sábados, das 8 horas às 13 horas. Domingos e feriados não haverá cobrança.

O tempo de permanência do veículo na vaga se limitará a duas horas na zona azul, que abrange a Avenida JK (entre avenidas NS 02 e NS 04) e as paralelas NE 01, na Quadra 104 Norte e SE 01, na Quadra 104 Sul. As demais vias que compreendem estas duas quadras serão denominadas zona verde e terão tempo máximo de permanência de quatro horas. 

De acordo com a regulamentação, carros e motocicletas pagarão valores que variam de R$ 0,75 a R$ 5,00 a depender do tempo de permanência e do veículo. 

Entenda o BRT

Amastha aproveitou a oportunidade para apresentar aos empresários o projeto de mobilidade que vai percorrer a cidade unindo regiões Norte e Sul através de um corredor expresso ininterrupto de transporte urbano. O Bus Rapid Transit (BRT) trata-se de uma via rápida de 35 quilômetros no canteiro central da Avenida Teotônio Segurado, ligando de um lado o Setor Santo Amaro e de outro o Taquari. 

Ao longo do percurso, estão previstas as instalações de estações de integração multimodal que se conectarão às demais linhas. A estrutura de embarque e desembarque possibilitará aos usuários do transporte coletivo urbano o acesso a bens e serviços tais como emissão de documentos, plantões de vacinação, farmácias básicas, atendimento ao usuário, entre outros.

“Uma forma de oferecer um sistema de transporte público com mais qualidade e velocidade. Aproximar a comunidade da oferta de serviços públicos e estimular as vendas do comércio através da facilidade de locomoção”, concluiu Amastha. (Secom Palmas)