Polí­tica

Foto: Divulgação Deputado José Geraldo é o presidente regional do PTB Deputado José Geraldo é o presidente regional do PTB

Vários deputados estaduais presentes na posse do presidente da Assembleia Legislativa, Sandoval Cardoso, como governador interino do Tocantins, afirmaram ao Conexão Tocantins que na base governista a dúvida impera com relação ao novo candidato do governo para as eleições de outubro.

O primeiro a comentar o assunto foi o deputado e presidente estadual do PTB, José Geraldo de Melo Oliveira que afirmou que na sua opinião o governo não mudou de estratégia. “Não mudou nada, não vi nenhuma mudança até agora. Não foi cogitada nenhuma alteração até o momento”, afirmou sobre a pré-candidatura do ex-senador Eduardo Siqueira Campos, filho do governador Siqueira Campos.  José Geraldo frisou que não vê dúvida sobre o candidato.

Ao contrário de José Geraldo os deputados também da base, Jorge Frederico (SDD), Iderval Silva (SDD) e Vilmar do Detran (SDD) disseram ao Conexão Tocantins que nem os aliados sabem se o candidato será Siqueira ou Eduardo. “Essa decisão só cabe a pai e filho”, comentou Jorge Frederico. Já Vilmar do Detran disse que tanto pai como filho tem o mesmo peso político.

Iderval por sua vez disse que a base está aguardando a decisão do Palácio Araguaia sobre o candidato. Enquanto muitos aliados do governo evitaram escolher entre o nome do pai ou do filho o deputado Stalin Bucar (SDD) não ficou em cima do muro. “Vou sugerir e a candidatura que eu defendo é a do Eduardo”, disse. Bucar comentou que a decisão não pode ser tomada apenas pelo Palácio. “Não é só escolher qualquer candidato que nós vamos dizer amém, tem que ser alguém que tenha capacidade de votos”, disse.

O presidente interino da Assembleia Legislativa, Osíres Damaso (DEM), frisou que apoiará o nome que o governo definir seja Siqueira ou Eduardo.

Sem renúncia

Durante a cerimônia de posse de Sandoval uma fonte do governo revelou que na verdade a tese trabalhada é a de que o governador não precisa renunciar para que Eduardo seja candidato. “Trabalhamos com a tese de que se o pai está elegível ele transfere elegibilidade também para o filho e por isso o governador não precisa renunciar”, disse a fonte. Alguns juristas defendem tal tese e a intenção do governo seria manter Siqueira no comando do Palácio Araguaia.