Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado Angelo Agnolin – PDT recebeu na tarde desta quarta-feira, 19, em seu gabinete, os coordenadores do Movimento BR-010, Elpídio Lopes e João Luiz, ex-prefeito de Jaú do Tocantins, além do prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, Roberto Campos, prefeito de Rio Sono, Maria Aparecida prefeita de Itacajá, Hélen Ruth prefeita de Santa Maria do Tocantins, Otoniel Andrade, prefeito de Porto Nacional, pelo prefeito de Santa Rosa, Ailton Araújo e o prefeito de Goiatins, Vinicius Donnover.

 Durante o encontro foi discutido que a comitiva pretende também visitar gabinetes de deputados e senadores das bancadas dos Estados do Maranhão, Piauí e Bahia, em busca de apoio na luta pela conclusão da BR-010.

 “Temos a convicção de que a BR-010 além de contribuir para o desenvolvimento econômico e social das regiões mencionadas, também irá favorecer o acesso à região turística do Jalapão. A estrada será importante também por se somar aos benefícios da futura hidrovia Araguaia/Tocantins, e ainda irá desafogar o fluxo de veículos da BR-153, entre outros.” disse o deputado Angelo Agnolin.

 De acordo com um dos coordenadores, Elpídio Lopes, outro aspecto relevante é a redução das distâncias percorridas.  “Este trecho facilitará o escoamento da produção agropecuária da região central do Tocantins, otimizando custos com transportes dos veículos que trafegam com destino às regiões Norte e Nordeste do País, e com a ligação da ferrovia Norte Sul que tem terminais de carga localizados sempre nas proximidades da estrada, já que a ferrovia tem o traçado paralelo a essa rodovia” afirma Elpídio.

 A BR-010

Iniciada há mais de uma década, e hoje se encontra paralisada dentro do Estado do Tocantins, Goiás e Maranhão. O trecho compreendido entre as cidades de Aparecida do Rio Negro/TO e Goiatins/TO, numa extensão de 309 km, tinha suas obras de implantação e pavimentação executadas por força de um convênio entre o Dnit e o Governo do Estado do Tocantins, mas após indícios de irregularidades detectadas pelo TCU, foram paralisadas em 2008, e teve o convênio denunciado pelo Dnit em 2009.

 Trata-se de uma das principais rodovias do Tocantins, pois se localiza em uma região de grande produtividade de soja e outros grãos. Hoje compõe também o novo celeiro agrícola denominado pela Presidenta da República do Brasil de “MAPITO ou MATOPIBA”, (denominação proveniente das siglas dos estados do Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia). A federal tem um itinerário que deverá passar pelas seguintes localidades dentro do Estado do Tocantins, Aparecida do Rio Negro, Rio Sono, Santa Maria, Itacajá, povoado Cartucho, povoado Morro Grande, Goiatins, Pedro Afonso, Palmas, Monte do Carmo ou Porto Nacional, Silvanópolis, povoado Príncipe, Paranã, Natividade, Chapada da Natividade e Santa Rosa.

 A rodovia BR-010 ligará Brasília à Belém cortando o Estado do Tocantins pela margem direita, ou a leste, do rio Tocantins, sendo em função disso, denominada também, de a Nova Belém-Brasília, numa referência ao corredor formado pelas rodovias BR-153 e BR-226, que também corta o Estado de Norte a Sul e que trouxeram desenvolvimento e progresso para a região do Norte Goiano e agora poderá ser uma nova alternativa para o deslocamento rodoviário em direção aos maiores pólos da região central do Estado e do país, facilitando a busca de serviços médicos, farmacêuticos, educacionais, entre outros serviços necessários para o desenvolvimento e sustentabilidade das comunidades do interior do Estado, promovendo o fenômeno da inclusão social de populações até então isoladas.