Estado

Foto: Divulgação

Provavelmente a Universidade Federal do Tocantins (UFT) entrará em greve após o carnaval. O clima, segundo alguns alunos é de que nos bastidores da universidade soam informações de uma provável paralisação, o que prejudicaria milhares de estudantes por um período indeterminado.

O presidente do Sindicato dos Docentes da Universidade Federal do Tocantins (Sesduft), professor Fábio Henrique Duarte, afirmou ao Conexão Tocantins na manhã desta quinta-feira, 20, que haverá uma reunião no final de março em Brasília para discutir se os professores entrarão ou não em greve. “No final de março em reunião em Brasília discutiremos se terá ou não greve dos professores”, afirmou Fábio.

Segundo o reitor da UFT, Marcio da Silveira, recentemente em uma reunião com todos os reitores das universidades federais, foi discutido sobre a suposta greve. “Estive em uma reunião com todos os reitores das federais, debatemos vários assuntos, entre eles a questão da greve, mas está relacionado ao sindicato, eles decidem”, afirmou o reitor.

Marcio da Silveira ainda disse ao Conexão Tocantins que está vigente um acordo com o Governo Federal até 2015. “Existe um acordo com o Governo vigente desde a ultima greve, ele vai até 2015 e está sendo cumprido, não tem o porquê de uma nova greve para fechar um novo acordo”, afirmou.

“A reitoria tem conversado com o sindicato dos servidores, pedindo para que tenham bom senso, e não frustrem as expectativas de todos, estamos em ano eleitoral não pode se fazer muita coisa, é limitado, pedimos para que façam uma reflexão melhor”, pontuou Marcio.