Polí­cia

Foto: Ascom SSP

Por meio de ação realizada na ultima quarta-feira, 26, Policiais Civis da Delegacia Estadual de Investigações Criminais – DEIC, com apoio de agentes do Departamento de Inteligência e Estratégia da Polícia Civil, efetuaram o recambiamento para a Capital de Placídio Moraes de Sousa, 23 anos.

Ele estava preso na Cadeia Pública de Tocantinópolis, após ser acusado de assaltar um caminhão carregado com derivados de leite, juntamente com outros integrantes. Foi capturado pela Polícia Militar na estrada que dá acesso ao município de Luzinópolis, em 19 de fevereiro. Placídio era foragido da Unidade de Regime Semiaberto – URSA em Palmas, onde cumpria pena pelo crime de tráfico de drogas.

As investigações apontaram que em companhia de outros indivíduos, o acusado, teria assaltado uma casa lotérica em 15 de janeiro de 2014, na cidade de Novo Acordo e, por esse crime, teve sua prisão preventiva decretada pela segunda vez. Ele e o bando teriam também roubado inúmeros aparelhos eletrônicos em uma loja na cidade de Lagoa da Confusão, 03 de Dezembro de 2013.

O indivíduo e comparsas também são acusados de arrombamento a cofre do caixa eletrônico do Banco do Bradesco, que fica na loja, de onde subtraíram a quantia de R$ 16.000,00. No decorrer das apurações, foi averiguado que o indivíduo participou de um assalto, efetuado a uma casa lotérica de Palmas, onde a quadrilha roubou um mostruário de joias, de uma comerciante, na Quadra 504 Sul.

Segundo a Delegada Liliane Amorim Albuquerque, o elemento confessou participação em todos os crimes citados, mas as verificações continuam, pois existe suspeita de que Placídio tenha cometido vários outros roubos no Estado do Tocantintins.

Quadrilha desbaratada 

Antes da prisão do foragido, as ações da DEIC já tinham resultado nas prisões de Ygor Costa Nunes, Pablo Matheus Pereira Araújo, Mayrane Pereira Araújo e Kessys Jhonys, todos acusados de fazer parte da quadrilha que agia com Placídio. Em aproximadamente dois meses, a Polícia Civil conseguiu elucidar sete roubos cometidos pela organização criminosa, em diferentes regiões do Estado. (Ascom SSP)