Estado

Foto: Divulgação

Os membros efetivos do Conselho de Inovação e Desenvolvimento Econômico de Palmas (CIDEP) continuaram reunidos na tarde desta última quarta-feira, 26, e foram recebidos pelo governador em exercício, Sandoval Cardoso, para tratar sobre a Medida Provisória (MP) N° 26/2013. A MP que propõe o reajuste das tarifas em cartórios mobilizou tanto a classe empresarial como representantes dos cartórios na busca de um consenso.

O presidente do CIDEP, Fabiano do Vale, tentou conseguir um prazo maior para que a lei pudesse ser analisada.  "Eles nos desrespeitam devido a forma como formulam as leis sem nos consultar, mas hoje nós fomos ouvidos e exercemos uma democracia como deve ser. Estávamos unidos  e isso ajudou muito, foi um ganho”, declarou o presidente do Cidep e também da Associação Comercial e Empresarial de Palmas (Acipa). 

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Tocantins (Sinduscon), Bartolomé Garcia, falou sobre os impactos do aumento acima da inflação. “Quando vamos fazer um orçamento, não temos como prever os aumentos. Não tenho isso no meu custo e não posso repassar aos meus clientes. Como temos inflação de 6% e as taxas podem ter, em alguns casos, 1600% de reajuste”, disse.

Em reunião na manhã desta última quarta, os empresários estiveram presentes na Assembleia Legislativa do Tocantins e apelaram, junto aos deputados, para que não se realizasse a votação sem uma análise da Medida Provisória.

No final da tarde o governador ouviu uma comissão de empresários que pediu a revogação da Medida para que possa ser  realizado um estudo de impacto durante este ano e que a matéria fosse negociada com os cartórios somente em 2015. No início dessa noite, o governador agendou uma nova reunião com os empresários às 17h30, no Palácio do Governo, nesta quinta, 27.