Estado

Foto: Divulgação

Cerca de 300 famílias do Movimento dos Trabalhos Sem Terra (MST) do Estado Tocantins ocupou, na manhã desta terça-feira, 4, a Fazenda Araguarina situada às margens da rodovia federal - Belém Brasília (BR-153) a 18 km de Fortaleza do Tabocão. A propriedade pertence à empresa Transbrasiliana e se encontra em processo de desapropriação/aquisição por parte do Governo Federal via Incra Tocantins para ser destinado à criação de um grande assentamento de reforma agrária no Estado.

Segundo informações preliminares que o próprio Incra,  teria passado ao MST, na área é possível promover o assentamento de 600 famílias sem terra da região. Em relação ao processo de desapropriação/aquisição da área, o Incra afirma que se encontra em andamento. 

No entendimento do Movimento Sem Terra, o processo de desapropriação/aquisição da referida área, já poderia está mais avançada. Para o MST, a lentidão por parte do Incra pode comprometer a conquista da área para reforma agrária, pois está havendo uma grande procura por parte de grupos econômicos ligado ao agronegócio interessados na área. Para as lideranças do MST, a área passa por um momento onde está havendo uma perigosa e terrível disputa.

O MST afirma que a área reivindicada será destinada para o assentamento das famílias do acampamento Olga Benário, instalado próximo à fazenda. O referido acampamento se encontra com mais de 400 famílias acampadas devidamente cadastrada pelo Incra esperando há quase um ano pelo assentamento.  “Nós queremos a terra para produzir e viver”, salientou uma acampada do movimento, Maria das Graças Ferreira. 

A ação foi organizada e realizada pelo o Movimento Sem Terra com apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do Movimento dos Atingidos pelas Barragens (MAB).