Saúde

Foto: Divulgação

Uma redução de 39% de casos notificados de malária no Tocantins, comparando-se o ano de 2013 com 2012. Estes foram os dados apresentados pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), durante o V Seminário de Malária do Tocantins.  Em 2013, foram notificados 34 casos; em 2012 foram registrados 56 casos de malária em todo o Estado. Mesmo com a redução, o monitoramento deve ser contínuo, pois o Tocantins está na região da Amazônia Legal, onde há vários Estados que apresentam altos índices de casos registrados da doença.

Durante o seminário, que começou nesta segunda-feira, dia 10, e deve ser finalizado hoje, terça, dia 11, serão apresentadas propostas para eliminar a transmissão da malária no Tocantins.

A diretora de Vigilância e Proteção à Saúde, Ruth Paranaguá, participou da abertura do seminário, ocorrida na noite desta segunda-feira, e estava representando a secretária estadual de Saúde, Vanda Paiva. Durante a solenidade, a diretora destacou sobre a importância de monitorar a doença no Tocantins. 

“Nós temos o vetor da malária, que é mosquito Anopheles, em grande quantidade no Estado. E nós temos Estados vizinhos que tem grande número de casos. Então, a possibilidade de ter um recreduscimento da malária, a qualquer momento, é grande se a gente não continuar a fazer a vigilância, a busca ativa e o controle dos casos”, comentou.

Ruth também fez orientações para a população, em relação aos sintomas da doença. “A população precisa saber que todo caso de febre que houver calafrio, pode suspeitar de malária; é importante que ela vá até a unidade básica de saúde para fazer o exame de gota espessa”, informou. A diretora destacou que todos municípios do Estado têm condições de fazer este exame. 

Ruth finalizou afirmando que o seminário é de grande importância, pois é preciso que todos discutam sobre a malária para que o número de casos não aumente novamente e que seja totalmente erradicada.

Estão participando do seminário membros do Ministério da Saúde, do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Tocantins (Cosems-TO), do Instituto Oswaldo Cruz, além do secretário municipal de Saúde de Araguaína, Rubens Neves, de alunos e profissionais de saúde. O seminário encerra-se no fim da tarde desta terça-feira, momento em que será feita uma carta de compromisso para acelerar a eliminação da transmissão da malária no Tocantins.

Malária

A malária é uma doença infecciosa causada pela picada do mosquito Anopheles fêmea, que pode conter quatro espécies diferentes de parasitas: plasmodium vivax, plasmodium