Palmas

Foto: Divulgação

 “O que a gente trouxe hoje de Brasília não é apenas 1 bilhão de reais, é o futuro da nossa cidade. A gente conseguiu convencer o Governo Federal, a presidente Dilma, os ministros das Cidades e do Planejamento que Palmas merecia este investimento, porque quer ser uma cidade diferente de tudo que se conhece. Já está em tempo de se fazer uma cidade só, mais justa socialmente, integrada, planejada prevendo moradia, transporte, serviços e habitação”, comemora Carlos Amastha.

O discurso do prefeito de Palmas à imprensa resume a alegria e satisfação que a gestão municipal sentiu ao receber a notícia dos investimentos de R$ 466,1 milhões para financiar o Bus Rapid Transit (BRT) e R$ 412,5 destinados à Habitação. Que juntamente com cerca de R$ 150 milhões anunciados anteriormente para a área de infraestrutura (terraplanagem, drenagem e pavimentação) somam mais de R$ 1 bilhão em investimentos para a Capital.

Acompanhado do presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Impup) e coordenador do projeto de Mobilidade Urbana, Luiz Masaru Hayakawa, o prefeito Amastha aterrissou na Capital, na tarde desta quinta-feira, 13, sendo recebido por uma multidão que o aguardava no Aeroporto Internacional Brigadeiro Lysias Rodrigues.

“É a realização de um sonho, um compromisso desta gestão que está saindo do papel e será concretizado”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Palmas, vereador Major Negreiros. Com os interesses focados na grandiosidade dos investimentos que serão aplicados na cidade o vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Palmas (Acipa), Henrique Cardoso, lembrou das oportunidades de negócios na área da Construção Civil: “uma obra deste tamanho significa falar em geração de emprego e em giro de capital, o que se traduz em crescimento econômico, antes mesmo da conclusão do projeto”, exaltou Cardoso.

Ampliar a visão para os benefícios indiretos que chegarão à Palmas, paralelos ao BRT, foi o pensamento compartilhado por Jarbas Pinheiro, presidente da Comissão Junina de Palmas (Cojupa) e vice-presidente da quadrilha Caipiras do Borocoxó, atual campeã nacional de quadrilhas. “Uma cidade que apresenta um transporte coletivo desta proporção acaba atraindo turistas. Estes turistas por sua vez conhecerão nossas quadrilhas e consequentemente multiplicarão nossa cultura nos demais estados do Brasil. É uma cadeia produtiva”, opinou.

Ciclo que está muito perto de começar ser executado. De acordo com Carlos Amastha, a previsão é que os trabalhos se iniciem ainda este semestre. “Nós já estamos com projeto pronto, com todos os espaços, permissões e concessões prontas, então a gente sonha que nos próximos 90 dias possamos dar início às obras”, conclui Amastha.

Saiba mais sobre o BRT

O sistema Bus Rapid Transit (BRT) prevê a instalação de uma via rápida de transporte dinâmico de passageiros no canteiro central da Avenida Theotônio Segurado, ligando as regiões norte e sul da Capital ofertando um serviço de mobilidade urbana rápido, confortável, eficiente e de qualidade.

A extensão do corredor será de 27,19 Km, com 28 estações de passagens, sete estações de integração sendo duas estações de integração multimodais (trincheiras) e mais cinco futuras. O projeto conta com dois terminais (Urbano em Taquaralto / Metropolitano na Avenida LO-27), 16,92 km de ciclovia com largura de 3m. Serão 85.720 m² de calçadas acessíveis em piso intertravado e com sete pontes, viadutos, elevados, sendo quatro exclusivos para o BRT.

Ao longo do percurso estão previstas as instalações de estações de integração multimodal que se conectarão às demais linhas. A estrutura de embarque e desembarque possibilitará aos usuários do transporte coletivo urbano o acesso a bens e serviços tais como emissão de documentos, plantões de vacinação, farmácias básicas, atendimento ao usuário, entre outros.