Polí­tica

Foto: Divulgação Vereadora Maria Bala (PRTB) Vereadora Maria Bala (PRTB)

A vereadora Hadul de Carvalho Bucar (PRTB) mais conhecida como Maria Bala, rebateu afirmações feitas pela prefeita de Miracema, Magda Borba, que  disse em matéria veiculada no Conexão Tocantins ter realizado um processo licitatório no valor de R$ 300 mil em peças para maquinários do município, sendo este para a realização de um orçamento anual.

Maria Bala afirmou ao Conexão Tocantins que o montante, que, segundo documentos, seria para compras de peças, não é só um orçamento anual como disse a prefeita, e sim um gasto já concretizado.  “A prefeita não tem comando da sua gestão, pois não sabe que já comprou, empenhou e pagou peças para pá-carregadeira, trator e veículos de Miracema do Tocantins, no valor de R$ 268.038,77 conforme dados em documento”, afirmou.

Um dos motivos que levou Maria Bala a protocolar requerimento pedindo o afastamento da prefeita Magda Borba, segundo ela, é o fato da empresa de peças não ter sede no endereço especificado em documentos. A vereadora disse que “não existe essa empresa no endereço correspondente, já averiguei e no local tem é um prédio residencial, a empresa não tem sede no endereço”, afirmou.

Maria Bala ainda discordou da idoneidade da empresa contratada para gerenciar a folha de pagamento dos servidores da saúde e educação do município, no caso a ONG Instituto Sócio Educacional Solidariedade (ISES). “O Ministério Público do Estado de Sergipe através do seu promotor Gilmar defende a anulação de todos os contratos com todas as Prefeituras Sergipanas com o IES. E se as pessoas quiserem acessar o site Tribuna da Praia, irão confirmar o escândalo que este instituto esta envolvido”, pontuou.

Prefeita

Magda Borba disse aoConexão que tem todas as documentações da empresa e ONG e que estão em situação regular. Segundo ela o valor de R$ 300 mil é um orçamento licitatório anual. “Aconteceu um processo licitatório no valor de R$ 300 mil anual, mas isso não quer dizer que vou comprar 300 mil em peças de uma vez, prefeitura não faz isso, fizemos uma previsão anual”, disse.