Estado

Foto: Dennis Tavares

O secretário de Defesa Social, Nilomar dos Santos Farias, e o reitor da Fundação Universidade do Tocantins – Unitins, Joaber Divino Macedo, assinaram nesta última quinta feira, 20, um termo de contrato para realização de pesquisa domiciliar e institucional sobre o consumo de álcool e outras drogas no Tocantins. 

“A realização da pesquisa será um mecanismo de respostas às indagações existentes, no enfrentamento à problemática das drogas, a qual possibilitará levantar dados científicos comprovados da realidade e propor alternativa de solução no enfrentamento às drogas”, explica Magda Valadares, diretora de Ações sobre Drogas da Secretaria de Defesa Social. A pesquisa será quantiqualitativa, definida como técnica a amostra probabilística, por ser uma escolha aleatória da população do universo a ser pesquisada, compreendendo municípios do Estado com população urbana total acima de 5 mil habitantes e faixa etária de 10 a 69 anos, totalizando 34 municípios, conforme Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

A metodologia seguida pela Unitins contemplará três etapas. A primeira refere-se a apresentação do projeto de pesquisa e plano de trabalho. Em seguida, a apresentação do relatório parcial da pesquisa (coleta de dados) e por último a apresentação do relatório final (resultados da pesquisa).

Para Joaber Macedo o contrato é importante para a área de Extensão da universidade, onde professores e alunos do curso de Serviço Social vão participar. “Além de levantar esses dados, essa realidade sobre a dependência química no Estado, nós estaremos também preparando nossos alunos para o profissional que ele vai ser no futuro”. O Reitor lembrou que o projeto está alinhado tanto com a parte de prestação de serviço que a universidade pode fazer à comunidade, com as políticas públicas que o Estado é detentor, quanto com a formação dos acadêmicos que atuarão futuramente no mercado de trabalho.

O secretário Nilomar Farias destaca que a pesquisa será uma ferramenta de trabalho muito importante. “Será uma aliada. Um diagnóstico que nos orientará a agir de forma mais acertada na busca de resultados, o que tornará o nosso Estado cada vez mais livre das drogas”, e acrescentou que o Governo do Estado já atua em consonância com a Política Nacional sobre Drogas no desenvolvimento de ações conjuntas que visem a redução da criminalidade, tráfico de drogas, prostituição, com iniciativas de fortalecimento da rede de serviços e instituições que atuam diretamente na prevenção ao uso de álcool e outras drogas ou no tratamento e reinserção social de dependentes químicos.

A pesquisa será iniciada ainda nesse semestre e coletará dados em todas as regiões do Estado.