Polí­tica

Foto: Divulgação

Se para alguns radicais e tendências do Partido dos Trabalhadores no Tocantins a aliança com o PMDB e outros partidos que estão fora do grupo até então intitulado de terceira via é inviável, para o pré-candidato do PT, Paulo Mourão, o projeto maior é a reeleição da presidente Dilma Rousseff e sendo assim é preciso ter “bom senso” para dialogar com outras legendas.

“Na minha opinião pessoal essa é uma questão de bom senso. Há uma disputa ferrenha à nível nacional e no Tocantins com um agravante: os candidatos do PSB e do PSDB conseguiram tirar partidos da base da presidente Dilma. No Estado, alguns partidos tem convivência com os apoiadores tanto do Eduardo Campos como do Aécio”, citou.

Mourão quer diálogo com os partidos da base do Governo Federal para fortalecer a reeleição da presidente Dilma. “O projeto principal do PT é a reeleição da Dilma e não consigo entender que isso é possível sem os outros partidos. Se esse é o maior projeto, o PT tem que ter o bom senso de dialogar com os partidos, afinal, como o PT pode ser candidato sem conversar com outros partidos?”, questionou.

O pré-candidato citou alguns partidos como o PR e PDT, por exemplo, como legendas que são da base da presidente Dilma, mas que, no Tocantins, estão próximos aos partidos que não defenderão a reeleição da petista. “Na condição de pré-candidato tentarei dialogar com todos os partidos inclusive com os que estão convivendo com o governo. Defendo o diálogo com outras frentes partidárias”, frisou.

Mourão reafirmou que o PT ainda não discutiu internamente a questão de alianças com PMDB e outras legendas da base.

Na semana passada a cúpula do PT no Tocantins se reuniu com o presidente nacional, Rui Falcão onde  reafirmaram que no Estado pretendem compor com a terceira via ( formada pelo PP, PCdoB e PSL) mas o PT e PMDB nacional conversam visando uma aliança no Estado.

Terceira via

O PT está na terceira via  e o grupo deliberou que partidos que tenham pré-candidatos , como é o caso do PMDB, não podem ingressar no grupo. A aliança com PMDB divide o partido. Na última reunião da terceira via o presidente estadual da legenda, Julio Cesar Brasil chegou a dizer que "querem levar o partido pelo beiço" mas que não vão conseguir.