Educação

Foto: Divulgação

Cerca de quinhentos trabalhadores da rede estadual de ensino fecharam a BR-153, em Paraíso do Tocantins, na manhã desta quinta-feira, 03. A rodovia federal foi interditada por mais de uma hora. Apesar do tráfego congestionado, motoristas apoiavam o movimento.

Após o ato os trabalhadores realizaram uma grande carreata pelas principais ruas de Paraíso, onde pediam a comunidade apoio à luta, já que o governo busca negociar com a categoria.

A categoria não recua à greve, mesmo considerada ilegal. O Sintet já protocolou recurso contra a ação liminar que pede o encerramento do movimento, pois considera que as negociações não foram atendidas como informa o governo.

A greve teve início no último dia 24 de março e segue por tempo indeterminado, até que o governo apresente uma proposta oficial e que garanta a revindicação da pauta dos educadores.

Mais de 20 mil trabalhadores da Rede Estadual de ensino paralisaram suas atividades em todo o Tocantins. Entre as principais reivindicações estão o pagamento retroativo das progressões, o cumprimento da data-base e a revisão do plano de carreira. 

A insatisfação das atuais condições de trabalho e da falta de valorização é latente. A categoria em peso de norte a sul do Tocantins está unida com o mesmo objetivo de reconhecimento. "Nossa luta é pelo respeito, pela valorização dos trabalhadores. A maioria das escolas estão fechadas, apenas uma minoria que tem maior numero de servidores contratados estão funcionando e por pressão, estão trabalhando por coação. Todos reclamam das más condições de trabalho e da falta de repasses, será que estão todos errados", disse o presidente do Sintet José Roque Santiago. (Ascom Sintet)

Por: Redação

Tags: Greve, Paraíso do Tocantins, Sintet