Opinião

Foto: Divulgação

De canto a canto do Tocantins, do mais informado ao mais desligado da política do Estado a pergunta é uma só: “Que Tocantins é esse?”. Assim como na saudosa canção que virou quase que um hino contra a corrupção no Brasil vale a pena fazer uma reflexão sobre quais os rumos que o Tocantins está sendo levado e sobre os valores (ou a falta deles) está causando em quem mantém a esperança de dias melhores.  Paixões políticas partidárias à parte a indignação é total e geral.

Coerência, cadê você? Interesses políticos e pessoais imperando sobre os interesses da população e uma grande onda de oportunismo tomou conta desse Estado. Do Executivo, passando pelo legislativo e chegando infelizmente até instituições que deveriam ficar de fora de todo esse processo, a bagunça está geral. Não bastasse um governo pífio, com demandas a resolver com várias categorias e que tenta driblar sem sucesso o problema crônico na Saúde além da falta de investimento em outras áreas agora os representantes que foram constituídos pelo povo estão numa onda de zig-zag político que causa um verdadeiro nó para todos nós.

O mesmo que critica e acusa dizendo que é oposição é o mesmo que semanas depois está de braços dados com mesmo grupo que desqualificou como se nada tivesse acontecido. Discurso de um lado e prática de outro totalmente diferente e chego a conclusão de que aposentaram a necessária ideologia política. Albert Einstein já dizia que o ideal político deve ser a democracia, para que todo o homem seja respeitado como indivíduo mas aqui no Tocantins acontece o inverso. Ninguém merece 25 anos de mais do mesmo! 

É um verdadeiro jogo de interesses, da conveniência, da estratégia e da busca do poder pelo poder...ou alguém tem dúvidas do motivo que levou o ex-governador e o ex-vice a renunciarem os votos que receberam? E tudo vai seguindo como planejaram: renuncia, eleição do Sandoval pela maioria e depois? Até quando o comando estará com os que acham que o poder é eterno? Não é uma questão de ser oposição ou não, de apoiar Sandoval ou até mesmo de mudar repentinamente de posicionamento na conduta política estou falando é de princípios. Atualmente está difícil saber quem de fato está á serviço da população, é preciso separar o joio do trigo... Outros falam em velha política, pregam mudança e a assumem como bandeira mas adotam a mesma postura com base em interesses pessoais. E o discurso bonito? Ficou apenas nos palanques.

Talvez a escassez da ideologia na política tocantinense e o jogo de interesses tão exposto sejam os motivos  do desânimo dos cidadãos e cidadãs de todo o Estado que estão sim atentos e querem com certeza ser protagonistas neste processo. A hora está chegando e os oportunistas de plantão vazios de princípios com certeza serão banidos como pede o clamor popular. A certeza é uma só: não, não é esse Tocantins que queremos. Abaixo política de interesses! Avante Tocantins!

*Osvaldo Durães é empresário e desportista

Por: Osvaldo Durães

Tags: Osvaldo Durães