Esporte

Foto: Divulgação

Cerca de 1.970 alunos-atletas e paratletas de escolas ligadas às Diretorias Regionais de Gestão e Formação (DRGF) de Colinas, Guaraí e Gurupi participaram da etapa regional dos Jogos Estudantis do Tocantins (Jets) e dos Jogos Estudantis Paraesportivos do Tocantins (Jets). As competições foram realizadas entre os dias 30 de abril e quatro de maio.

Em Guaraí, cidade anfitriã das disputas entre as unidades escolares jurisdicionadas à própria regional e à de Colinas, o número de participantes chegou a 1.350, envolvendo 46 escolas de 18 diferentes municípios.

“Os Jets foram muito bons; deu tudo certo e isto se deve ao envolvimento de todos, dos educadores aos alunos. Eu pude acompanhar vários jogos e achei que eles tiveram um bom nível técnico, e vários times da nossa regional conseguiram ser campeões. Valeu a pena o esforço, dar todo o suporte para o evento; todos saímos felizes no final”, reassaltou a diretora regional de Guaraí, Hernilde Oliveira de Sousa Silva.

Para a diretora da DRGF de Colinas, Iolanda Coelho de Castro Ferreira, os Jogos contribuem para a formação cidadã dos participantes. “Os Jets já fazem parte da história do Tocantins e mostram o compromisso do governo com a educação dos alunos ao promover uma competição tão democrática, onde escolas estaduais, municipais e federais participam de igual forma. Isto é uma grande aula de cidadania, o que faz com que os alunos aprendam muito também fora das salas de aula, principalmente sobre companheirismo, dedicação, união e como competir de forma sadia. Sem contar que ainda há o ganho cultural, com os jovens interagindo, se conhecendo e aprendendo sobre outras regiões”, ressaltou.

Gurupi

No sul do estado, cerca de 620 alunos-atletas e paratletas de 17 municípios jurisdicionados à DRGF de Gurupi participaram das competições. Ao todo, 38 escolas se inscreveram nos Jogos.

Para a diretora da DRGF de Gurupi, Cristina Donato Leandro, o esporte tem poder agregador e contribui para a formação dos estudantes. “O esporte consegue agregar todos os alunos de todas as redes de ensino em uma grande troca de experiências. Nos jogos, todos tinham a vitória como objetivo, mas a rivalidade ficava apenas nas quadras, nas disputas, porque fora delas eles se tratavam como amigos, promovendo rodas de conversas, de atividades musicais e culturais”, frisou, ressaltando a participação dos paratletas na competição. “Os nossos alunos que possuem alguma necessidade especial mostraram um enorme poder de superação, uma garra enorme para participar da competição; é muito satisfatório ver todos eles felizes por poderem participar do evento e com tanta qualidade”, afirmou a gestora educacional. (Ascom Seduc)