Economia

Foto: Divulgação

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha, recebeu no início da noite desta última quinta feira, 09, representantes dos Lojistas da Capital e juntos discutiram soluções para a falta de segurança na Capital. Na reunião, estiveram presentes a presidente da Associação de Supermercados do Tocantins, Maria de Fátima de Jesus, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Palmas (Acipa), Fabiano do Vale, a secretária de Desenvolvimento Econômico de Palmas, Cleide Brandão, e o secretário de Segurança, Defesa Civil e Trânsito, Claudemir Portugal.

Segundo os lojistas, o grande número de ocorrência de roubo que vem acontecendo em Palmas está deixando o setor apreensivo. Os empresários acreditam que o número de policiais e investimentos em segurança própria não está sendo suficiente para conter a onda de assaltos e roubos.

Trabalho em conjunto

Várias ações foram apontadas na reunião, entre elas o trabalho em conjunto com o da Guarda Metropolitana de Palmas (GMP) e da Polícia Militar na intensificação de blitze pela cidade e a construção de portais nas cinco entradas e saídas da Capital com câmeras de monitoramento de última geração.

Outra medida será a criação de Unidade de Policiamento Proteção e Segurança (UPPS) que será montada em pontos críticos da cidade, com maior registro de ocorrência. O projeto experimental será montado na Alameda Jardins, onde uma equipe da GMP ficará de plantão 24 horas, enquanto toda área será monitorada por câmara de outro ponto da cidade por outra equipe que estará monitorando e qualquer atitude os guardas serão acionados com as coordenadas sobre as suspeitas.

O trabalho será gradativo, dessa forma, segundo o prefeito Carlos Amastha, num curto espaço de tempo, Palmas será transformada numa cidade 100% monitorada. ”Conto com o apoio da iniciativa privada o problema não é somente do Município e por isso precisamos pensar juntos e encontrar uma solução”, disse.

Será agendada uma nova reunião com o comando de policiamento da Capital e solicitada a presença do governador do Estado para pedir o aumento no número de efetivos da PM nas ruas. A mesma medida, segundo o secretário Claudemir Portugal será feita com a GMP.

“Com o sistema de monitoramento por câmeras não precisaremos de guardas nas secretarias e esse efetivo nós vamos colocar em outra frente de trabalho, eles vão para ruas e estarão mais presentes junto à comunidade”, enfatizou o secretário.

Para o presidente da Acipa, as entidades de classe estão dispostas a colaborarem com o município, e juntos buscarem meios para solucionar o problema da falta de segurança da cidade. "Estamos dispostos para somar forças e, se preciso for, até com ajuda financeira", ressaltou.