Polí­tica

Foto: Divulgação

Enquanto nos bastidores a configuração política para as eleições de outubro no grupo do governo parecem estar adiantadas, para o deputado federal do Solidariedade, Eduardo Gomes, tudo ainda está no campo das possibilidade sem veto a ninguém e sem posição firmada. “Quando o governador renunciou ao cargo os partidos que compõem a base abriram uma série de possibilidades múltiplas”, disse.

Para Gomes, os primeiros encontros para definição das candidaturas devem ocorrer no inicio do próximo mês. “Não tem nada fechado. Se me perguntarem, por exemplo, se serei candidato a quê eu respondo que só não serei candidato ao Senado se Siqueira for”, revelou.

Nos bastidores os dois nomes cogitados para ser candidato ao governo são o governador Sandoval Cardoso (SD) e o ex-senador Eduardo Siqueira Campos (PTB), mas Gomes citou ainda o nome do senador Vicentinho Alves (SD) e o do próprio ex-governador Siqueira Campos (PSDB) como alternativas viáveis. “Por parte do governo acho que há uma serenidade com relação a isso. Quem está batendo cabeça e perdendo a linha é parte da oposição, no nosso grupo não tem isso. Nossa intenção é ir para um processo eleitoral mais tranquilo”, frisou.

Na base do governo o presidente do PSDB, Jaime Café, defende o nome de Siqueira para o Senado e diz acreditar que o povo dará um voto de agradecimento e reconhecimento ao ex-governador.