Polí­tica

Os deputados estaduais, incluindo governistas e oposição, rejeitaram a urgência de um requerimento do deputado Stalin Bucar que repudia a senadora Katia Abreu (PMDB) e dava o título de “persona non grata” em razão do episódio que aconteceu na última sexta-feira durante visita do Pelé ao Agrotins. No evento houve uma polêmica na qual o governador teria sido barrado por um dos seguranças de Pelé e além disso houve uma discussão entre Katia e o Chefe da Casa Militar, Coronel Feitosa.

O deputado José Bonifácio iniciou a discussão. “ Isso é piada, urgência para votar titulo de persona non grata? Acho que o deputado Stalin ficou foi louco. Isso é uma piada que o parlamento não pode se submeter. Aproveitar factóide para atacar uma representante do sexo feminino, senadora da república que seria sido um monstro encima de um coronel que tem que ser preso pela sociedade”, disse.

Para o parlamentar isso é uma piada da qual ele não vai colaborar. O deputado Marcelo Lelis (PV) também votou contra e em seguida Luana Ribeiro (PR) também. “Não fui favorável com a forma que o governador foi tratado até porque ele é um chefe de Estado e tem que ser respeitado como tal mas voto contrário. Não concordo com a atitude porém não sou favorável á moção de repúdio”, disse a parlamentar.

Stalin disse que o Estado passou por um vexame contra um coronel da Polícia e um governador. “ Se o deputado Bonifácio foi financiado pela senadora e quer com isso respaldar umas atitudes que não são compatíveis com o cargo que exerce. De repente essa senhora acaba lhe dando um tapa no pé do ouvido e vossa excelência apresenta aqui uma moção de aplauso contra ela”, ironizou.

O autor do requerimento frisou que seu pedido é para que ela pense duas vezes antes de agir como , segundo ele, fez no episódio da Agrotins. “ temos que bani-la da vida pública desse Estado mas se o Bonifácio aceita e compactua ele está na mesma vala daqueles que não servem para ser representantes do povo”, atacou.

Do PMDB, José Augusto Pugliese também comentou o fato. “ Não estava presente no evento mas se formos olhar para o Estado vamos achar vários motivos para repúdio ao ex-governador. Quero deixar registrado que se houve excesso não sou a favor mas acho que defenestrar uma pessoa pública por um ato que não sabemos se de fato aconteceu não é o adequado”, defendeu.

Solange Duailibe (SD) disse que houve muitas pessoas reclamando da atitude da senadora com relação ao governador. “ Os termos que foram usados com o coronel é falta de ética, é prepotência. Assinei e vou votar a favor pela forma que ela trata o governador de forma desrespeitosa demonstrando que ela está aquém do cargo que ocupa”, disse.

O líder do governo, Carlão da Saneatins votou contra a urgência do requerimento e deixou a bancada livre para votar. Do PT, José Roberto Forzani também foi contra a urgência. Sargento Aragão e Josi Nunes também votaram contra.