Campo

Foto: Divulgação

O Agricultor Familiar, João Alberto Alves Ferreira, de 67 anos, do município de Figueirópolis, foi beneficiado com financiamento para a aquisição de um minicultivador. O equipamento foi adquirido por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), na modalidade “Mais Alimento”.

De acordo com o extensionista do Ruraltins e responsável pela elaboração do projeto de compra, Gessimar Silvestre, a capacidade de produção irá triplicar e, consequentemente, a renda do agricultor vai aumentar.

“O minicultivador permite lavrar a terra em tempo ágil, com eficácia e o mínimo de esforço. O que antes levava um dia de trabalho, agora será realizado em uma hora”, afirma o extensionista.

Em sua propriedade o agricultor cultiva hortaliças e cria pequenos animais, além de gado leiteiro. Tudo que é produzido serve para consumo próprio e o excedente é vendido nas feiras e supermercados de Figueirópolis. O produtor garante que graças às visitas e assistência técnica do Ruraltins a propriedade tem boa produção. “Estou muito feliz. Com o acesso ao crédito pude comprar essa máquina para produzir ainda mais”, disse.

Entrega

A entrega do minicultivador ao agricultor João Alberto ocorreu na última sexta- feira, dia 09 de maio, na Agrotins – Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins, com a presença do gerente regional do Ruraltins em Gurupi, Avanir Pereira.

Crédito

De acordo com dados da Assessoria Técnica e Planejamento do Ruraltins, o governo do Estado, por meio das ações do Ruraltins, com a missão de promover e contribuir para o crescimento e desenvolvimento sustentável, assegurando a melhoria da qualidade de vida do homem do campo, nos últimos três anos assegurou aos agricultores familiares mais de R$ 250 milhões, para serem aplicados em suas propriedades. Os recursos são provenientes dos projetos elaborados e aprovados pelas agências financeiras que disponibilizam crédito via Pronaf. O crédito rural é considerado pelos extensionistas uma ferramenta que promove o desenvolvimento no campo, gera renda e a inclusão produtiva. (Ascom/Ruraltins)